19/05/2013 15:26

Pai diz que filho foi assassinado e não vítima de acidente no Jóquei

Viviane Oliveira
Idenilson foi encontrado morto no estacionamento do Jóquei. (Foto: reprodução/Facebook)Idenilson foi encontrado morto no estacionamento do Jóquei. (Foto: reprodução/Facebook)

Para o operador de máquinas, Ismaldo Pereira Barros, 44 anos, o filho, encontrado morto no estacionamento do Jóquei Clube de Campo Grande, foi assassinado e não vítima de acidente. Segundo a Polícia, Idenilson da Silva Barros, 20 anos, morreu por esmagamento na madrugada de hoje, depois de ser atropelado. Ele havia ido ao show de Munhoz e Mariano com a namorada e um grupo de amigos.

Conforme Ismaldo, os amigos do filho disseram que na festa, Idenilson se envolveu em uma discussão com os seguranças e quase foi tirado para fora do local. “A briga começou por causa de um esbarrão em um rapaz. Eles só não tiraram o meu filho porque o amigo se comprometeu a levar ele embora, caso o problema continuasse”, disse, afirmando que depois disso ficou tudo bem.

Por volta das 2h30, Idenilson disse aos amigos que iria dar uma volta e desapareceu. O amigo, Wender Suriano de Oliveira, de 22 anos, que estava junto, diz que achou que ele tivesse ido ao banheiro ou comprar mais bebida.

“Idenilson estava demorando a voltar e nós começamos a ligar no celular dele. No começo chamava, depois estava desligado e por último o celular chamou novamente, mas ninguém atendeu”, acrescenta.

Cerca de 3 horas depois, ele foi encontrado morto no estacionamento do Jóquei. “Idenilson não estava tão bêbado ao ponto de ir para aquele lugar, ele sabia onde o carro que nos levou para o show, um veículo Gol, estava”, afirma o amigo.

Outra desconfiança da família e quanto ao celular da vítima que não foi localizado. “O celular dele, onde foi gravada a confusão desapareceu e ele foi encontrado em um local que só entra ônibus e caminhão”, afirma o pai. 

De acordo com ele, o filho pode ter sido agredido por alguém. “Ele era um menino muito ativo, eu não acredito que tenha deitado ali, mesmo que estivesse alcoolizado”. 

Segundo primeiras informações obtidas pela Polícia, o rapaz morreu por pressão torácica em decorrência de um atropelamento que esmagou o tórax da vítima. O delegado de plantão que atendeu o caso, Cláudio Zotto, trabalha com duas possibilidades.

A primeira é que o jovem tenha tomado algum tipo de bebida alcoólica e, por decorrência do álcool, tenha se deitado no chão do estacionamento ou Idenilson pode ter caído da carroceria de algum carro e, ambas as possibilidades, podem ter resultado no atropelamento. Zotto disse, ainda, que conforme informações prévias da perícia, o rapaz foi esmagado. O corpo estava próximo à bilheteria.

A família do jovem decidiu doar as córneas dele. "Até agora não consigo acreditar que meu filho está morto", finaliza o pai. 

imagem transparente