25/01/2019 12:11

Pedreiro nega ter atraído crianças e diz que apanhou por denunciar usuários

Nesta manhã o suspeito passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada

Geisy Garnes
Suspeito que também trabalha como carpinteiro foi levado à Deam. (Foto: Divulgação/PM)Suspeito que também trabalha como carpinteiro foi levado à Deam. (Foto: Divulgação/PM)

O pedreiro de 59 anos preso na noite desta quinta-feira (24) por estupro de vulnerável negou ter atraído duas irmãs de 6 e 7 anos e um menino para sua casa no Bairro Jardim Aero Rancho, em Campo Grande. Na delegacia, ele afirmou que só apanhou dos moradores da região porque “denuncia os usuários e traficantes da região”.

Em depoimento, o suspeito negou o crime e ainda contou uma versão completamente diferente da registrada. Lembrou que estava em um bar do bairro quando viu uma mulher chegou ao local com dias crianças, uma dela de colo, “bem pequena e não sabendo nem falar direito”.

Segundo ele, a criança de colo apontou para as balas que estavam no balcão e por isso ele pediu ao comerciante para vender o doce fiado no nome dele. Ele alega que a mulher aceitou as balas, que foram entregues pelo dono do bar.

Ainda conforme o pedreiro, cerca de 30 minutos depois, deixou o bar e voltou para a casa, mas assim que chegou foi surpreendido por vários moradores que invadiram a residência e o agrediram. O suspeito alega que o grupo quebrou uma porta de vidro, vários móveis e até o celular durante a invasão.

Quando os moradores deixaram a casa, a Polícia Militar o prendeu. Mais de uma vez, ele negou conhecer as crianças, ter atraído elas para sua casa e ter beijado as meninas. Alegou ainda que apanhou da multidão por denunciar usuários e traficantes da região constantemente.

Na manhã desta sexta-feira (25) o pedreiro passou por audiência de custódia no fórum de Campo Grande e teve a prisão preventiva decretada.

Caso - A menina de 6 anos contou que brincava com a irmã e outro menino no campo em frente a sua casa, quando o suspeito apareceu e ofereceu R$ 1, caso os três fossem até sua casa.

Na casa, conforme relato das crianças, o suspeito beijou a bochecha da menina de 6 anos e agarrou a 7 anos para beijar sua boca. Toda a ação em frente ao menino, que a mãe de 34 anos não soube dizer a idade.

Após os fatos, o trio pegou a moeda de R$ 1 e foi até a um mercado do bairro, onde compraram uma bolacha. Um funcionário do estabelecimento confirma que as crianças compraram o alimento por volta das 15h. O suspeito foi encontrado e preso pouco depois, em uma casa abandona.

Por conta da situação de abandono das crianças o conselho tutelar também foi acionado.

imagem transparente