02/08/2019 16:10

Pelas câmeras, agente penitenciário flagra tentativa de fuga na Máxima

Cinco internos estavam fora da cela e serravam um alambrado do pavilhão 11 quando foram impedidos

Geisy Garnes
Internos estavam no Pavilhão II da unidade (Foto: Arquivo)Internos estavam no Pavilhão II da unidade (Foto: Arquivo)

Cinco presos foram flagrados tentado do fugir da Penitenciária Jair Ferreira de Carvalho, a Máxima de Campo Grande, na madrugada desta sexta-feira (2). Pelas câmeras de segurança da unidade os agentes penitenciários viram os envolvidos fora da cela e impediram a ação.

Conforme o boletim de ocorrência, pelas câmeras do presídio o agente penitenciário que estava de plantão flagrou cinco internos fora da cela, cortando o alambrado do pavilhão II.

O alarme foi acionado e os agentes foram ao pavilhão. No local, encontraram o alambrado cortado e uma corda artesanal, conhecida como Tereza, e gancho de madeira abandonados. Em vistoria, os servidores perceberam ainda que as grades da cela 10 haviam sido serradas. Na hora de conferir os presos, descobriram ainda que um deles havia deveria estar em outra cela e havia trocado de lugar com um colega.

Os cinco internos que estavam na cela foram retirados e revistados. Todos eles, segundo o boletim de ocorrência, tinham lesões pelo corpo por conta da tentativa de fuga. Eles então foram levados para celas disciplinares. No caminho reagiram e tentaram agredir os agentes penitenciários.

Ainda segundo o registro policial, foi necessário “uso de força” para conter os presos e isolá-los na cela 514 do pavilhão V. Conforme a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) depois do episódio os internos foram transferidos para a PED (Penitenciaria Estadual de Dourados) e a cela 10 reparada.

Os envolvidos na tentativa de fuga foram identificados como Jardel Angelo Wink Soligo, de 35 anos, José Vidal Silva, de 56 anos, Nicolas Kelvin Soares Montalvão, de 20 anos, Osmar Júnior Oliveira de Jesus, de 26 anos e Reinaldo Clemente da Silva, de 37 anos.

Nicolas está preso por envolvimento na morte de José Carlos Figueiredo, o “Coroa” de 41 anos, decapitado após ser “julgado” pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) em novembro de 2017. Jardel, José Vidal e Reinaldo estão presos por envolvimento com tráfico de drogas e Reinaldo cumpre dois mandados de prisão por crimes cometidos nos estados de Goiás e Minas Gerais.

O caso foi registrado na 3ª Delegacia de Polícia Civil como dano qualificado, se o crime e cometido contra o patrimônio da união, estado, munícipio, empresa concessionária de serviços públicos.

imagem transparente