22/01/2013 16:09

Semáforos em mau estado confundem e preocupam motoristas

Helton Verão
Na Rui Barbosa, em frente a Santa Casa a sensação é de que a próxima ventania pode derrubar o semáforo (Foto: Luciano Muta)Na Rui Barbosa, em frente a Santa Casa a sensação é de que a próxima ventania pode derrubar o semáforo (Foto: Luciano Muta)
Na esquina da Júlio de Castilhos com a Yokohama um dos equipamentos já não tem carcaça (Foto: Luciano Muta)Na esquina da Júlio de Castilhos com a Yokohama um dos equipamentos já não tem carcaça (Foto: Luciano Muta)

O estado de alguns semáforos em Campo Grande tem incomodado e atrapalhado os motoristas. Há equipamentos tortos, outros quase caindo e alguns que nem funcionam. 

Na avenida Júlio de Castilhos esquina com a rua Yokohama, quem segue no sentido terminal se vê uma carcaça torta e desgastada. No outro sentido, um semáforo sem carcaça alguma, e com a luz do sol dificulta mais ainda a visibilidade em qual tempo está o sinal. Durante a visita da reportagem vários condutores avançaram o sinal vermelho.

Na 26 de Agosto condutores olham para o equipamento do vizinho para saber o tempo do seu (Foto: Luciano Muta)Na 26 de Agosto condutores olham para o equipamento do vizinho para saber o tempo do seu (Foto: Luciano Muta)

Outro ponto em que chama atenção, na rua 26 de agosto com a avenida Bandeirantes, todos os semáforos apresentam algum tipo de problema. Para os condutores que seguem pela 26, o tempo do vermelho não funciona e o verde está praticamente apagado. “Estou esperando o movimento da Bandeirantes parar, ou a fila aqui do lado andar, aí imagino que estará aberto pra mim”, conta a contadora Vera Cardoso.

“Só parei porque vi os carros ao lado parando, pois no semáforo não tem nenhum farol ligado”, deduz o pintor Aílton Nogueira.

No semáforo da Bandeirantes, o farol verde não funciona, o que gera constantes “buzinaços” no cruzamento. “Estamos trabalhando aqui há pouco mais de um ano, e o barulho das buzinas e acidentes são frequentes, além de ser um cruzamento perigoso, os semáforos ainda falham”, reclama a gerente da farmácia localizada no cruzamento, Walkiria de Oliveira.

Seguindo na 26 de agosto, no cruzamento com a avenida Ernesto Giesel, outro equipamento está com a iluminação no tempo verde quase apagada.

O Campo Grande News entrou em contato com a assessoria da prefeitura municipal, que prometeu que a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) irá avaliar a situação de cada caso para intervir com os reparos.

imagem transparente