08/11/2019 10:37

Desmoronamento de barragem avança em Porto Murtinho e obra é discutida

Dique do Porto Murtinho começou a ceder no dia 28 de outubro; reunião na Seinfra discute obra de contenção a ser executada

Silvia Frias
Estrutura começou a desmoronar no dia 28 de outubro e ainda está sob risco (Foto/Reprodução)Estrutura começou a desmoronar no dia 28 de outubro e ainda está sob risco (Foto/Reprodução)

O projeto de reparos na estrutura do aterro de contenção às margens do Rio Paraguai, em Porto Murtinho, ainda está sendo discutido entre prefeitura e a Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), hoje, em segunda rodada de negociações. Na cidade, a população se assusta com os constantes desmoronamentos da barragem.

Imagens gravadas no dia 6 de novembro e foram postadas por Elias Cano, residente em Porto Murtinho, mostram o desmoronamento de terra e, depois de placa de concreto. No compartilhamento, outras pessas se alarmam com a situação e pedem providências.

O prefeito Derley Delevatti (PSDB) disse que isso tem ocorrido de forma gradual, ainda na estrutura de proteção do dique. A prefeitura já decretou situação de emergência.

Segundo o prefeito, ainda há distância de 10 a 15 metros que separam a estrutura de contenção do dique e, por isso, embora emergencial, a situação não é considerada extremamente crítica. A avaliação ainda tem como ponto favorável o baixo nível do rio, o menor já registrado desde 2013. Em média, o nível do Rio Paraguai chega a média de 4,5 metros e, agora, chegou ao menor índice, 2,28 metros.

“Está muito seco, mas temos a preocupação de resolver logo o problema”, disse o prefeito. Hoje, Delevatti participa de segunda reunião com técnicos da Seinfra, em Campo Grande para discutir a obra a ser executado. “Não temos pessoal ou equipamento para o serviço”.

A estrutura de contenção começou a desmoronar no dia 28 de outubro. O trecho fica na região central da cidade. A área fica em uma parte mais profunda do rio, próximo da estação de captação de água da Sanesul (Empresa de Saneamento Básico de Mato Grosso do Sul). A cada dia, pedaços de terra e concreto desabam. Um desses vídeos foi publicado no dia 6, chamando atenção de moradores da cidade.

As placas de concreto foram colocadas por toda a extensão em que o rio passa pela cidade, há cerca de oito anos e a manutenção deve ser mantida pela prefeitura. A estrutura foi inaugurada em 1985.

imagem transparente