14/07/2019 08:50

A dentadura do samurai e a do farmacêutico francês

Mário Sérgio Lorenzetto
A dentadura do samurai e a do farmacêutico francês

Era o ano de 1927. O governo do Japão decidiu remover parte de um cemitério para a construção de uma via pública. Descobriram uma urna de cerâmica em uma das covas. Pensando em alguma joia, encontraram uma dentadura. Essa é a mais antiga dentadura, quase completa, até hoje encontrada. Pertencia a Hidam Nokami Yagyu, um famoso samurai. Tinha 344 anos. Até onde a história da odontologia sabe, as dentaduras foram inventadas pelos japoneses.
A base da dentadura de Yagyu era de uma madeira denominada "tsuguê", uma árvore nativa do Japão, de grande resistência. Também era utilizada na fabricação de pentes. Os dentes que se encaixavam nessa base de madeira, eram feitos de "pedra-de-cera", equivalente à nossa pedra-sabão. A coloração era marrom.

A dentadura do samurai e a do farmacêutico francês

A dentadura do farmacêutico francês.

Só um século depois dos japoneses, os europeus começaram a confeccionar as dentaduras. Por volta de 1770, surgiram as primeiras dentaduras de porcelana. Alexis Duchâteau, um farmacêutico francês, que residia próximo a Paris, foi o "artista" responsável pela façanha de moldar uma dentadura de algo tão difícil de trabalhar como era a porcelana.

A dentadura do samurai e a do farmacêutico francês

As pontes dos libaneses sem datação.

É bem provável que os fenícios - povos que originaram os libaneses - tenham sido os precursores das pontes dentárias. Boa parte dos estudiosos da odontologia credita a eles - muito antes do samurai - as duas primeiras pontes humanas. Essas dentaduras recebem o nome de seus descobridores: Gaillardot e Torrey. Acreditam que são dos séculos IV e V a.C., portanto, algo como mil anos antes da dentadura japonesa. Foram encontradas em escavações realizadas em Saída, no atual Líbano. A encontrada por Gaillardot têm seis dentes - dois caninos e quatro incisivos, ligados por um fio de ouro. Pertencia a uma mulher libanesa. A encontrada por Torrey também era de ouro, mas era uma mandíbula com seis dentes anteriores. Também existem dois dentes de ouro, datados de 1.500 antes de Cristo, produzidos no Egito antigo.

A dentadura do samurai e a do farmacêutico francês

O museu da odontologia e Tiradentes.

Será difícil deixar de sorrir ao visitar o Instituto, Museu e Biblioteca de São Paulo. Essa instituição conta a história da odontologia em terras brasileiras através de consultórios e instrumentos antigos. Há 500 peças em exposição, muitas dentaduras. Também há um instrumento igual ao usado por Tiradentes. Dizem que o herói da pátria fazia dentes perfeitos, profissão que aprendera com um padrinho de nome Sebastião Ferreira Leite. O herói nacional começou a se interessar por problemas brasileiros conversando sobre o cotidiano, como a situação das minas de ouro e a ganância de Portugal, que cobrava os "impostos mais caros do mundo" no dizer de seus contemporâneos.

imagem transparente