05/04/2019 12:29

Em Campo Grande, 41,6 mil famílias não têm condições de pagar contas

Pesquisa indica que março terminou com 176.149 famílias têm dívidas, como créditos, cartões e cheques

Silvia Frias
Principal fonte de endividamento continua sendo o cartão de crédito (Foto/Arquivo)Principal fonte de endividamento continua sendo o cartão de crédito (Foto/Arquivo)

O número de famílias endividadas em Campo Grande, em março, foi de 57,1%, equivalente a 176.149, conforme pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). Deste total, 29,7% estão com contas em atraso e, do total, 13,5%, ou 41.653, dizem que não terão condições de pagar as dívidas.

Na lista de débitos, estão cheques pré-datados, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimo pessoal, prestações de carro e seguros.

Os números representam queda em relação a fevereiro, quando os endividados chegam a 58,6% e os que não tiveram condições de pagar as contas, 18,2%. Em relação a março do ano passado, também revela decréscimo, 55,3% de famílias endividadas. O percentual de março é o menor desde julho de 2018 (56,9%).

“As famílias estão mais contidas com as finanças”, diz o presidente do IPF-MS (Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS), Edison Araújo.

O principal meio de endividamento continua sendo o cartão de crédito, apontado por 69,1%. “Por essa razão vemos com cautela a nova modalidade de crediário no cartão, onde os juros são mais elevados, o que pode provocar um descontrole orçamentário do consumidor e também inibir o consumo, caso se confirme o indicativo de mercado de que os parcelamentos sem juros sejam substituídos por esta modalidade”.

imagem transparente