17/01/2012 18:19

Que dificuldade é achar calendário com as fases da lua em salões de beleza

Ângela Kempfer
O cabeleireiro Jorge Kehl mostra satisfeito calendário com as fases da lua. (Foto: João Garrigó)O cabeleireiro Jorge Kehl mostra satisfeito calendário com as fases da lua. (Foto: João Garrigó)

Em um dia cheio no salão de beleza, o cabeleireiro Jorge Kehl entra satisfeito com um calendário da Caixa Econômica Federal nas mãos, é o fim de uma luta para conseguir oferecer às clientes informações que para muitas ainda são fundamentais: as fases da lua.

“Não tem mais isso nos calendários. Só consigo na Caixa Econômica”, comenta Jorge, depois de muita cobrança das clientes. Ele conta que certa vez o gerente do banco confirmou a dificuldade das pessoas obterem esse tipo de informação nos tempos modernos.

“O gerente contou que uma mulher, que nem era cliente do banco, ligou uma vez e pediu para ele dar uma olhadinha no calendário que estava na mesa dele e contar em que fase da lua estávamos”.

Pelos salões de Campo Grande, o calendário virou objeto difícil. Em seis locais consultados pelo Lado Ba folhinha só foi renovada em um. Mais um daqueles exemplos de como as tradições ficam perdidas no tempo.

“Não tem comprovação científica”, justifica Neide Ferreira, do Tok Final, salão no bairro Moreninha II. “O cabelo cresce 1,25 cm por mês, não tem como ser mais”, argumenta.

Mesmo assim, ela concorda com a necessidade do calendário na parede. “Tem mulher que só senta na cadeira se a lua for crescente”.

Evandro de Brito, do Renascer, há 19 anos trabalha com isso e é fiel às fases da lua. Evandro de Brito, do Renascer, há 19 anos trabalha com isso e é fiel às fases da lua.

A fisioterapeuta Fernanda Lira, de 27 anos, é uma dessas clientes. “Cresci assim, é difícil mudar a tradição. E depois, para mim sempre deu certo. Lua crescente o cabelo cresce mais rápido e na minguante enche de volume”, avalia a jovem de cabelos encaracolados que foge de uma lua minguante.

Santa Marques, dona de um salão na Coophatralho, diz que hoje em dia não sofre mais a pressão da mulherada. “Pouca gente acredita nisso agora. Só quem é mais velho. Tenho a folhinha em casa, mas aqui não”.

Já o cabeleireiro Evandro de Brito, do Renascer, no bairro Jardim dos Estados, há 19 anos trabalha com isso e é fiel às fases da lua. “Eu e minhas clientes”, ressalta, apesar de dizer ser difícil encontrar as informações impressas. “É preciso ter sorte para encontrar um”.

Filho de cabeleireira, ele apreendeu com a mãe que como na lavoura, onde a plantação responde de forma diferente de acordo com a época, no salão a “colheita” também sofre a influência lunar.

“É prática. Dá para ver no dia-a-dia. Lua crescente é para o comprimento mais rápido, lua minguante para dar volume, lua nova para fazer crescer cabelo”, lembra Evandro que costuma ter sempre um calendário atualizado com as fases da lua.

imagem transparente