06/02/2013 08:00

Limonada suíça já não é a mesma. Na Feira Central, o suco tem vários sabores

Anny Malagolini
Gideão prepara a limonada até com leite.Gideão prepara a limonada até com leite.

A empresa é pequena, um box na Feira Central de Campo Grande. Mas a parada vale à pena. Gedeão Farias Filho, de 50 anos, faz uma limonada suíça como ninguém e justifica: "A preparação da bebida se tornou um ritual".

O sabor preserva o azedinho, mas a textura é super cremosa e mais refrescante. A receita foi adaptada por Gideão, leve um pouco de leite. Não é mais aquela clássica, para o desgosto de quem preza o tradicional.

Ele faz combinações com suco de outras frutas, como morango, melão, abacaxi...uma infinidade de sabores.

Deu trabalho encontrar o caminho saboroso, comenta. Ele diz ter demorado um ano para encontrar o ponto certo da bebida, a única fonte de renda da família.

Outra diferença é que normalmente a limonada suíça mesmo adoçada costuma ser amarga e o consumo deve ser imediato, porque com o tempo ela vai perdendo ainda mais a suavidade.

Mas a limonada de Gideão pode até ser levada para casa. Quem garante é a esposa, Jeonice Farias, de 55 anos, que ajuda no negócio e relembra da dedicação pela fórmula da bebida.

Ela conta que o marido sempre gostou de sucos e tinha a vontade de abrir uma lanchonete, até que realizam o desejo, e começaram a testar formas de se fazer a limonada. "Eu era a principal cobaia", comenta.

Há apenas 4 meses na feira, a limonada já é sucesso. A estreia foi justamente no Verão de Campo Grande, por isso a clientela certa para bebida refrescante.

 

Jeonice serve uma das clientes na barraca da feira central.Jeonice serve uma das clientes na barraca da feira central.

Gideão conta que não há segredo, acredita que de tanto fazer experiências a mão acabou dando o ponto ao suco, mas não revela que ponto é esse.

A diferença da limonada suíça para a convencional é que na suíça é preciso bater o limão com a casca, sem as sementes. Para fazer meio litro da limoda é preciso um limão.

O copo com 500 ml da bebida custa R$ 4,00, e o cliente ainda tem direito ao chorinho e as vezes ao “chorão”, revela a bancária Neide Maia Rodrigues, 50 anos, que virou cliente. "Tracidional e com abacaxi e laranja estão entre os meus favoritos. Eu nunca gostei muito de suco, mas eu indico, é cremosa e saborosa", recomenda.

Em tempo: Para esclarecer leitores que têm enviado solicitações, o Lado B não recebe qualquer quantia para publicar reportagens como a de Gideão e sua limonada suíça. O canal considera relevante o trabalho de famílias e profissionais que produzem sabor e produtos criativos em Campo Grande. Todas as matérias comerciais são identificadas pela assinatura "Informe Publicitário".

imagem transparente