23/12/2011 10:44

Em um ano, 1.400 animais silvestres foram atropelados na BR-262

Edmir Conceição
Tamanduá-mirim é principal vítima de atropelamentos na rodovia que corta o Pantanal.Tamanduá-mirim é principal vítima de atropelamentos na rodovia que corta o Pantanal.

De acordo com monitoramento inicial feito no segundo semestre deste ano pela Universidade do Paraná, dentro do estudo de transformação da BR-262 em estrada ecológica, foi relacionado atropelamento de 1.400 animais de 88 espécies no período de um ano entre Campo Grande e Corumbá, num trecho de 410 km.

No trecho de 284,2 km entre Anastácio e Corumbá, em apenas dois meses de monitoramento, houve o atropelamento de 57 espécimes.

Segundo as estatísticas, o cachorro do mato é a espécie mais atingida nos acidentes, seguido pelo tamanduá-mirim. Durante monitoramento de dois meses foi constatada também a morte de um tamanduá bandeira, espécie ameaçada de extinção e de três jaguatiricas, também constantes da lista das espécies ameaçadas.

O Dnit está elaborando programas de gerenciamento de riscos e emergências ambientais, de recuperação de áreas degradadas, de educação ambiental e de comunicação social, para manter toda a comunidade envolvida no trânsito e habitantes das regiões cortadas pela rodovia, para conscientizar sobre o caráter especial da via, que atravessa um dos ecossistemas mais frágeis.

imagem transparente