A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

18/06/2018 06:25

Pela primeira vez por aqui, Blooms Day celebra literatura de James Joyce

Thaís Pimenta
Herbert e Carlo são os dois sentados aos lados de suas esposas no lado esquerdo da imagem. (foto: Thaís Pimenta)Herbert e Carlo são os dois sentados aos lados de suas esposas no lado esquerdo da imagem. (foto: Thaís Pimenta)

O irlandês James Joyce, um dos pioneiros do modernismo na literatura, inspirou milhares de autores, que o admiram e, por quê não, também o criticam, com sua alta literatura e sua nova linguagem. Sua autêntica forma de contar uma história criou muitos leitores curiosos e sedentos por entender os tais fluxos de consciência de Joyce. Pra se ter noção, o autor é tão conceituado que ganhou um dia só pra um de seus livros, o ''Ulysses'', ser comemorado. O dia tem até nome especial, Bloomsday, uma referência ao protaganista Leopold Bloom. 

A nível nacional e internacional, e pela primeira vez em Campo Grande, o Bloomsday foi comemorado no último 16 de junho. Por aqui, o encontro de leitores apaixonados pelas palavras de Joyce teve ponto mais do que certeiro para acontecer, no bar O Irlandês Pub.

Organizado pelos amigos advogados Herbert Covre e Carlo Fabrizio, o evento que já tem mais de 30 anos de tradição em São Paulo começou tímido por aqui. Com a proposta mais que irreverente de comemorar a literatura de um irlandês no habitat natural dessa nacionalidade, os amigos se uniram a outros fãs do escritor para ''beber e comemorar a tradição, e também para inaugurar a tradição'', comenta Herbert.

A obra ''Ulysses'' tem cerca de 900 páginas. Um belo chop escuro acompanha as discussões sobre Joyce. (foto: Thaís Pimenta)A obra ''Ulysses'' tem cerca de 900 páginas. Um belo chop escuro acompanha as discussões sobre Joyce. (foto: Thaís Pimenta)

Dentre os amantes de Joyce, esteve presente o, também advogado, Leandro Moraes. Leitor assíduo, ele disse que foi descobrir a alta literatura durante uma aula que teve com Herbert. ''Existem dois tipos de literatura, a mais popular, que vende os best sellers, e a mais complicada, e consequentemente menos lida, que é a alta literatura. Por meio da aula eu tive curiosidade de ir atrás depois que ele nos comentou sobre Franz Kafka'', diz.

Sete pessoas participaram do encontro que contou com discussão sobre Joyce, leituras de seus trechos de ''Ulysses'' e, claro, um bom chop escuro.

''O livro é extenso, difícil e narra Bloom peregrinando por Dublin, a capital irlandesa, durante 18 horas do dia 16 de junho de 1904 -data escolhida por ser dia em que Joyce teria tido o primeiro encontro com sua amante, companheira e mulher Nora Barnacle'', dizem.

A intenção é fazer do evento uma festa tradicional por aqui também. ''Muita gente acha inacessível as obras dele, mas não é bem assim. Se a pessoa realmente tem curiosidade, tem livros mais simples, como o Retrato de Um Artista Quando Jovem, que são bons estreantes da literatura de Joyce'', finaliza Carlo.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.