A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

16/08/2013 15:39

Reinaldo diz que reforma política só sairá do papel se população pressionar

Lidiane Kober

Em audiência pública na Assembleia Legislativa, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) destacou a importância de o Congresso Nacional realizar a reforma política, mas frisou que as mudanças vão sair do papel apenas se a população pressionar os parlamentares. Ele, inclusive, admitiu que o tema só ganhou destaque por conta das manifestações que, recentemente, varreram o país.

Para Reinaldo, uma das prioridades da reforma é proporcionar a redução no número de siglas políticas para acabar com os chamados “partidos de aluguel”. Ele citou como exemplo o que ocorreu na busca por aliados na disputa pela Prefeitura de Campo Grande, em 2012. O tucano relatou que houve partidos que chegaram a participar da convenção do PSDB, para apoiá-lo, e, no dia, seguinte estavam apoiando adversários. “É a ideologia do dinheiro”, criticou.

Além dele, participaram da audiência pública, proposta pelo deputado estadual Osvane Ramos (PTdoB), os deputados estaduais pelo PSDB, Marcio Monteiro, Rinaldo Modesto e Dione Hashioka. Todos foram enfáticos em defender a redução no número de partidos.

Reinaldo também disse que o PSDB defende a aprovação do voto distrital misto, em que os Estados seriam divididos em distritos. Neste sistema, parte dos candidatos ao Legislativo seria eleita pelo distrito, como se fosse uma eleição majoritária, e outra parte por lista elaborada pelo partido.

Além disso, o tucano citou outros pontos da reforma. Quanto à votação em lista, o parlamentar demonstrou preocupação caso seja aprovada a lista fechada, já que isso poderia se configurar numa “ditadura dos partidos”. “Qual seria o critério para definição da lista?”, questionou.

Segundo o proponente da audiência, com as propostas definidas na audiência, serão colhidas assinaturas físicas e eletrônicas para a propositura de projeto de lei de iniciativa popular, que posteriormente será entregue no Congresso Nacional para apreciação.

Movimentos sociais duvidam que reforma política saia do papel
Sob a descrença de movimentos sociais, os deputados que fazem parte do grupo de trabalho da reforma política da Câmara terão o desafio de chegar na p...
Propostas aprovadas pelo grupo da reforma política não valem para 2014
As propostas discutidas e aprovadas pelo grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que debate temas para a reforma política não valerão para as eleiç...


Seria cômico se não fosse trágico,reinaldo azambuja criticando partidos de aluguel,ele quando no poder não vacilou em atropelar quem quer que seja para conseguir seus objetivos,sera que foi pelos seus lindos olhos que chegou a deputado federal,de prefeito a deputado federal sempre teve total apoio do PMDB,e depois nas ultimas eleições apoiou em maracaju Celso Vargas e em campo grande Bernal. (Quen não tem gratidão não tem carater.)
 
marco antonio em 17/08/2013 11:46:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions