A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

12/04/2012 20:52

Abertura da Expogrande 2012 é marcado por discurso de autoridades

Nyelder Rodrigues e Francisco Junior
Presidente da Acrissul, Francisco Maia fez o discurso de abertura do evento (Foto: João Garrigó)Presidente da Acrissul, Francisco Maia fez o discurso de abertura do evento (Foto: João Garrigó)

O presidente Acrissul, Francisco Maia, abriu a edição de 2012 da Expogrande na noite dessa quinta-feira (12) com um discurso ácido, criticando a cobrança do Fundersul e empresas frigoríficas instaladas no Mato Grosso do Sul.

Ele também citou a questão de divisão de terras no Estado durante sua fala.

Sobre a cobrança do Fundersul, Francisco Maia reclamou da cobrança, que era para ser provisório e ficou permanente, lembrando que o imposto é cobrado apenas de agropecuaristas, mas que também deveria ser estendido aos produtores sucroalcooleiros e madeireiros.

“A tira do couro não deve ser tirada do calejado e suado. Não é justo pagarmos imposto para depois bitrens destruírem nossas estradas”, disse Maia fazendo menção aos veículos que transportam cana-de-açúcar pelas rodovias do Estado.

Quanto aos frigoríficos, o presidente da Acrissul criticou os dois grupos de frigoríficos que comandam o setor no Estado. Para ele, o mercado regional perdeu a essência de concorrência, matando os pequenos frigoríficos do Interior do Estado e asfixiando também os produtores rurais.

Conforme Maia, é preciso que também haja isenção e incentivo de crédito para os pequenos frigoríficos e produtores continuarem atuando no Interior do Estado.

Divisão de terras - Francisco Maia comentou sobre os problemas de divisão de terras no Estado. Ele destacou que o grande problema dos indígenas não são as terras. “O grande problema é o álcool, são as drogas cada vez mais presente em nossas aldeias. o crack é um grande problema”, opina.

Sobre o movimento sem terra, Maia disse que hoje já não são mais preocupação para os produtores, pois o Incra está pagando muito bem pelas terras da reforma agrária.

Exposição - o evento de aberturada Expogrande 2012 reuniu pecuaristas, parlamentares e diversas autoridades. O governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), não pode comparecer ao evento pois esteve em Brasília nessa quinta-feira.

Ele foi representado pela secretária estadual Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), Tereza Cristina Correa da Costa Dias.

Sobre a realização do exposição em 2012, o presidente da Acrissul afirmou que a entidade fez o máximo possível para realizar a feira, citando que 20 mil cabeças de gado estão para serem comercializados na Expogrande.

Quem também falou sobre a exposição foi o prefeito da Capital, Nelson Trad Filho (PMDB). Ele disse que não é só por que não terá shows que a festavai perder o seu brilho. “Não podemos esquecer que ainda temos as barracas universitárias e as barracas de alimentos. A Expogrande é o evento mais charmoso da cidade”.

O prefeito também destacou o setor de negócios da feira, dizendo que a cidade se incorpora ao evento. “O forte da Expogrande sempre foram os negócios, e continuará sendo os negócios realizados aqui”.

Para o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM), com a decisão judicial de não acontecerem shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho, as autoridades envolvidas na realização do evento devem achar alternativas para que os shows voltem a fazer parte da Expogrande.

Mesmo assim, ele ainda crê que o público vá comparecer à feira. “Só vai deixar de vir à Expogrande quem só vinha para os shows mesmo”, declarou o deputado.

Outro deputado federal presente e que sobrou sobre a Expogrande foi Edson Giroto (PMDB). Ele comentou sobre a grandeza do evento, apesar da ausência de shows neste ano.

Homenagens - a abertura da Expogrande 2012 também contou com homenagens à 30 pecuaristas do Estado, entre eles o ex-governador Wilson Barbosa Martins.



Realmente é uma tristesa saber disso,isso demonstra que uma capital ainda tem uma mentalidade tão pequena como se fosse uma cidade de interior , e assim caminha-se para o não desenvolvimento cultural ,e social onde a tradiçao esta se esvaindo ,por isso industrias preferem optar por outros estados e cidades que nao tem a mente tao fechada.
e impostos e cargas tributarias altissimas que desistimulam
 
ANTONIO CARLOS MARTINS DA SILVA em 20/04/2012 11:07:11
O importante é fazer algo diferente. Sem shows, a Exposição Agropecuária de Campo Grande-MS ficou diferente de todas que existem Brasil afora. Afinal de contas, o que pretende um pé-de-chinelo numa exposição agropecuária? Então, que fiquem os universitários com suas barracas vendendo para os pecuaristas e seus familiares. Certíssimo para uma Capital que é Portal do Pantanal.
 
Ezio José em 13/04/2012 01:40:56
Estive no evento hoje apesar de ser o primeiro dia já se nota uma diferença grande,antes no primeiro dia haviam shows regionais para abertura o público era bem maior.Para mostrar ao Governo do Estado que a população quer e aprova os show no local,deveriam colocar uma votação e ver o resultado,mas isso também e falta de vontade da Acrissul de adaptar o parque pois arrecadam milhões com a feira.
 
Leandro Gomes Ferreira em 12/04/2012 10:05:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions