A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

24/12/2014 12:19

Agricultura familiar investe mais e banco quer aumentar crédito em 10%

Caroline Maldonado
Projetos, desenvolvidos em parceria com Agraer, ajudam famílias de MS a ampliar produção (Foto: Arquivo/Cleber Gellio)Projetos, desenvolvidos em parceria com Agraer, ajudam famílias de MS a ampliar produção (Foto: Arquivo/Cleber Gellio)
Banco do Brasil prevê aumentar número de empréstimos pelo Pronaf, segundo gerente de Mercado, Rafael Remonti (Foto: Marcelo Calazans)Banco do Brasil prevê aumentar número de empréstimos pelo Pronaf, segundo gerente de Mercado, Rafael Remonti (Foto: Marcelo Calazans)

Desde julho, agricultores familiares de Mato Grosso do Sul já financiaram R$ 124,5 milhões para investimento e custeio da produção, pelo Pronaf (Programa Nacional de Desenvolvimento da Agricultura Familiar), segundo o MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário). Do início da safra 2014/2015 até agora, foram firmados 5.383 contratos entre os bancos e os pequenos produtores. A maior parte desses financiamentos ocorre pelo Banco do Brasil, que prevê aumentar em 10% o volume de contratos nesta safra, em relação a anterior.

Responsável por 65% das negociações de crédito rural, o Banco do Brasil emprestou, na safra 2013/2014, R$ 84 milhões para custeio e R$ 115 milhões para investimento somente a agricultores de Mato Grosso do Sul. Com isso, o banco ofertou aos pequenos produtores do Estado o total de R$ 199 milhões.

Na safra atual, que vai de julho de 2014 à julho de 2015, o montante adquirido já alcança R$ 115 milhões, sendo R$ 55,5 milhões para custeio e R$ 59,5 milhões para investimento, segundo o gerente de Mercado do Banco do Brasil, Rafael Remonti.

O gerente explica que o banco já negociou pelo Pronaf, desde julho deste ano, 57,7% do total financiado na safra passada. O volume indica maior demanda neste ciclo e por isso o banco prevê aumentar o montante de empréstimos em até 10% na safra atual. “Estamos bastante otimistas quanto as contratações pelo Pronaf, pois está havendo uma demanda cada vez maior”, comenta o gerente.

Outro fator animador em relação ao Pronaf em Mato Grosso do Sul é a inadimplência, que se mantém em torno de 1%, em negociações feitas pelo Banco do Brasil, segundo Rafael. “A maioria dos contratos feitos pelo Pronaf são para investimento, diferente das outras linhas de crédito rural, em que os contratos são mais para utilização do recurso em custeio. Esse montante para custeio envolve milho, soja, algodão, mandioca, gado de corte, leite, peixe, avicultura e suínocultura, uma variedade enorme”, detalha o gerente.

A adimplência dos agricultores familiares está relacionada também ao apoio recebido por projetos governamentais desenvolvidos no Estado, na avaliação de Rafael. “Os produtores contam com assistência técnica que tem feito diferença na produção, vinda de projetos da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural)”.

 

Apoio de projetos ajudam agricultores financiados por Pronaf a se manter adimplentes (Foto: Arquivo/Cleber Gellio)Apoio de projetos ajudam agricultores financiados por Pronaf a se manter adimplentes (Foto: Arquivo/Cleber Gellio)

País - O número de contratos firmados com pequenos agricultores em todos os bancos financiadores em Mato Grosso do Sul coloca o Estado entre os dez com menor volume de contratos, abaixo de 6 mil. Conforme dados do MDA, em todo o Estado estão aptos a ter acesso ao Pronaf, 30.556 produtores.

Em todo o Brasil, de julho a novembro, foram efetivados 976.572 contratos, quem somam R$ 13 bilhões em linhas de custeio e investimento. Em comparação com o mesmo período da safra 2013/2014, houve aumento de 26% no valor contratado e de 3% no número de contratos. De julho a novembro de 2013 foram firmados 946 mil contratos, no valor total de R$ 10,3 bilhões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions