A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Outubro de 2017

07/07/2008 10:55

Alta de até 150% nas terras trava vendas em MS

Redação

O mercado de imóveis rurais de Mato Grosso do Sul vive um momento de paradoxo. Ao passo em que as terras nunca foram tão procuradas, os negócios estão travados porque a forte valorização faz com que os interessados, em geral grupos estrangeiros, repensem os investimentos.

Hoje o hectare de soja em uma região como de Maracaju chega a custar R$ 15 mil, quando há um ano estava na casa dos R$ 6 mil, um aumento de 150%. A informação é do corretor de imóveis e engenheiro agrônomo Eugênio Perón, que é referência no mercado, em que atua há 15 anos e afirma que nunca viveu um momento como este. Enquanto a equipe do Campo Grande News esteve no escritório dele o telefone praticamente não parou de tocar.

A valorização das terras é resultado de um conjunto de fatores, mas em resumo reflete o que aconteceu com o que elas produzem. No caso da soja, a saca de 60 quilos era vendida a um ano a R$ 25,00 chegou a dobrar de valor. A relação de preço em uma região como a de Maracaju e Dourados é de que cada hectare valha 300 sacas. Terras para soja que estão com pastagem valem 200 sacas o hectare.

A pecuária também assistiu à decolagem do preço da arroba bovina, puxando o valor das terras. Neste caso, são duas situações. Áreas de recria, como por exemplo, na região de Ribas do Rio Pardo, são cotadas entre R$ 2,5 mil a R$ 3 mil o hectare e as de cria, na região de Miranda, Aquidauana, Bonito e Bodoquena, entre R$ 3,5 mil e R$ 5 mil.

Alimentos

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions