A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

05/11/2009 22:14

Após 11 meses, pecuaristas fazem acordo com frigorífico

Redação

Depois de 12 horas de discussões, cálculos e propostas rejeitadas, pecuaristas que têm a receber do frigorífico Independência fecharam acordo para pagamento a cada um no valor de R$ 100 mil e o restante do saldo devedor quitado em um prazo de até 36 meses, com parcelas mínimas de R$ 1 mil.

Segundo a Famasul (Federação de Agricultura de Mato Grosso do Sul) exatamente às 21h48 da noite desta quinta-feira terminou a última reunião entre produtores que forneciam gado ao frigorífico que representantes do Grupo Independência.

A assembléia com os credores foi realizada no Hotel Transamérica, em São Paulo, depois de quatro tentativas sem sucesso de acerto entre as partes.

Em votação, os pecuaristas concordaram com o pagamento à vista de R$ 100 mil, para todos os 1.540 pecuaristas que não receberam pelo gado que entregaram para o abate.

Quem tem valor maior a receber, ganhará a primeira parcela nessa quantia e terá o restante parcelado e corrigido pela taxa Selic, com a condição de ter a dívida quitada até a 24ª parcela, dentro do prazo de 36 meses.

As datas fixadas para o depósito dos R$ 100 mil foi até 31 de janeiro 2010, podendo ser retardada até 31 de março do mesmo ano, caso o Independência receba novos financiamentos pleiteados até a data máxima de desembolso..

A primeira proposta, apresentada dentro do Plano de Recuperação do frigorífico previa apenas o parcelamento, sem qualquer correção.

Em agosto, os produtores não aceitaram acordo para limitar o pagamento imediato aos pecuaristas que tinham até R$ 80 mil a receber e vincular esse pagamento ao aporte de R$ 300 milhões que ainda será obtido no mercado. Os pecuaristas tentaram elevar esse teto para débitos de até R$ 150 mil, mas fecharam acordo em R$ 100 mil.

O Independência deve a pecuaristas de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Minas Gerais e Goiás, com dívida de R$ 194 milhões. O maior prejuízo foi para um fornecedor goiano que entregou sete mil cabeças de gado e levou o calote de R$ 9 milhões. Em Mato Grosso do Sul, o débito estimado é de R$ 45 milhões.

Para negociar o pagamento, foi criada em julho uma comissão de credores. A dívida é referente ao fim do ano passado e desde janeiro se busca uma solução.

O caso Independência foi um dos motivos que levou os produtores lançarem a campanha para venda de gado com pagamento só à vista.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions