A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Outubro de 2017

19/10/2015 14:21

Com queda de 30%, produção de algodão deve ser a menor em 5 anos

Caroline Maldonado
Plantio do algodão safrinha começa em dezembro (Foto: Ampasul)Plantio do algodão safrinha começa em dezembro (Foto: Ampasul)

O valor bruto da produção de algodão deve registrar em 2015, o menor montante dos últimos 5 anos, em Mato Grosso do Sul. Em 2012, o produto chegou a movimentar R$ 599,6 milhões e para este ano são esperados R$ 416,8 milhões, o que representa queda de 30%. Os dados são de levantamento do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que prevê R$ 26,5 bilhões para o VBP (Valor Bruto da Produção) Agropecuária de MS, alta de 4,3%, em relação ao ano passado.

A redução no valor do algodão não tem a ver com a produtividade, que é aprimorada a cada ano pelos cotonicultores do Estado, na avaliação do Agrônomo da Ampasul (Associação Sul-mato-grossense dos Produtores de Algodão), Danilo Moraes. “Isso é devido a redução na área, que nesses anos anteriores foi maior. Há três anos, chegamos a ter 70 mil hectares plantados e agora temos 32 mil hectares”, explica.

Alguns produtores deixaram a cultura e, com isso, a produção diminuiu, mas os agricultores comemoram bons resultados quando a produtividade, que é a capacidade de se produzir mais, utilizando cada vez menos e em menos tempo. “As últimas safras estão estabilizadas e a produtividade está boa. MS é o Estado que tem a melhor produtividade”, comenta.

Na última semana, a Ampasul chegou a projetar aumento de 9,6% na área plantada no Estado, que poderia chegar a 33.913 hectares, mas o clima não colaborou. “É possível que a área venha cair. Havia previsão de aumento, mas como não teve umidade suficiente, não se plantou a soja no tempo certo e isso vai afetar o plantio do algodão safrinha, que começa em dezembro, depois da colheita da soja”, detalha Danilo.

O município de Costa Rica é o maior produtor de MS, com cultivo de 15.389 ha previsto para a primeira safra. Chapadão do Sul está em segundo lugar, com área total de 7.204 ha e, em seguida, vem São Gabriel do Oeste, com área total de 3.500 ha.

Na estimativa para o país, o valor bruto da produção de algodão herbáceo deve ter alta de 1%, passando de R$ 12,4 bilhões para R$ 12,6 bilhões, conforme o Mapa. 

Valor bruto da cana terá alta de 10,5%, segundo Mapa (Foto: Divulgação/Biosul)Valor bruto da cana terá alta de 10,5%, segundo Mapa (Foto: Divulgação/Biosul)

Avanço - Do total das lavouras de MS, é esperado aumento de 5,8% no montante, que deve passar de R$ 14,8 para R$ 15,6 na comparação entre 2014 e 2015. Para a pecuária, estima-se alta de 2,1%, no valor que deve passar de R$ 10,6 bilhões para R$ 10,8 bilhões.

O valor bruto da cana terá o maior avanço, na perspectiva do Mapa. O valor deve passar de R$ 3 bilhões para R$ 3,3 bilhões, o que representa alta de 10,5%, o maior dos últimos 11 anos. A projeção é de incremento de 9,5% no montante da produção de milho em grão. Espera-se que o montante, que foi de R$ 3,9 bilhões, no ano passado, chegue R$ 4,2 bilhões, em 2015.

As lavouras de soja devem ter acréscimo de 7,6% no valor bruto da produção. Conforme o levantamento, a soma deve passar de R$ 6,8 bilhões para R$ 7,3 bilhões.

Brasil - O valor bruto da produção agropecuária de 2015 é de R$ 481,4 bilhões, em todo o país. Os valores são calculados pela SPA (Secretaria de Política Agrícola) do Mapa. O montante é 1,3 % superior se comparado ao obtido no ano passado. A pecuária deve ter crescimento de 2,2 %, e as lavouras, de 0,8 %. O valor bruto da produção deste ano é o maior da série, com pesquisa iniciada em 1989.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions