A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

28/11/2011 13:46

Operação-padrão atinge mais de 40% dos escritórios da Iagro, diz secretária

Marta Ferreira e Fernando da Mata

Por causa do prejuízo no transporte de animais, Governo autorizou contratação emergencial de servidores, em resposta a operação-padrão de

Coletiva na Famasul esta manhã sobre emissão de Guias de Transporte Animal, que está está suspensa em 38 escritórios da Iagro. (Foto: João Garrigó)Coletiva na Famasul esta manhã sobre emissão de Guias de Transporte Animal, que está está suspensa em 38 escritórios da Iagro. (Foto: João Garrigó)

Dos 78 escritórios da Iagro (Agência de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) de Mato Grosso do Sul, de 40% a 50% estão os trabalhos de emissão de GTA (Guia de Transporte Animal) parcialmente suspensos, por causa da operação-padrão dos funcionários da agência.

A secretaria Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias informou hoje, durante entrevista coletiva na Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado) para explicar medidas adotadas hoje pelo governo do Estado sobre o assunto, que se reúne com o governador André Puccinelli (PMDB) ainda hoje para avaliar se será necessária a contratação emergencial de funcionários para a Iagro.

A permissão para contratar foi dada hoje em decreto do governador. A medida também aplica punições aos servidores que estão fazendo operação-padrão.

O decreto determinou corte de salários e afastamento e abertura de processo disciplinar contra os que, deliberadamente, retardarem a emissão de GTA.

Esse tipo de documento é essencial para o trânsito de gado dentro do Estado e também para fora.

Segundo a secretária, de 40% a 50% dos funcionários da Iagro aderiram à mobilização.

A contratação emergencial autorizada, segundo ele, por enquando é uma medida de precaução. De acordo com ela, se amanhã a situação for a mesma, a contratação pode ser necessária.

“A contratação será para suprir deficiencias, pois o estado precisa rodar, e o produtor não pode ter prejuízo”.



Governador os tempos de ditadura acabaram , será que o senhor se esqueceu, além do mais os servidores ainda estão sendo tolerantes, pois não entraram de greve, o que seria muito pior, em vez de dar uma de durão, é melhor negociar, ja pensou se estoura outra febre aftosa, aí sim o nosso estado vai pro ralo. Aí quem será prejudicado somos nós produtores.
 
Antonio Alves Machado em 01/12/2011 08:53:41
Acho que o governo tem QUE autorizar o plano de cargos e carreiras pois o servidor do iagro tem grande importancia na sua função e justo der plano e ganhar bem.
 
cinthya cunha em 29/11/2011 09:22:16
parece que ja esqueceram do foco de aftosa de 2005, e se acontecer de novo, essas mesmas pessoas que estao representando o governo para resolver a operacao padrao, vao estar rodiando os tecnicos do iagro, mandando vestir a camisa do estado e resolver a questao, ai o povo do iagro deve mostrar esse decretao para quem os fez e o divulgou como solucao dos problemas do produtor rural.
 
joao julio em 29/11/2011 09:10:19
É realmente uma atitude muito inteligente, melhor contratar, do que negociar.....e quem paga as contas somos nós.....é uma grande piada este pais.
 
Cláudio Roberto de Oliveira em 29/11/2011 01:57:14
O governo tem que reconhecer e valorizar os funcionarios da Iagro . Eles ganham uma miseria de salario e mesmo assim trabalham se esforçando o maximo ,trabalhando nos fins de semana e feriados para acabar com o pesadelo da Febre Aftosa.
 
José Severo dos Santos em 28/11/2011 11:41:00
Em vez de contratar temporários, não seria mais fácil negociar com os fiscais de carreira. Afinal é o Órgão Oficial com seu patrimônio humano é o que da credibilidade a defesa sanitária. No Mato Grosso o pessoal do INDEA é valorizado pelo Governador vem investindo e o estado vem batendo recordes em tudo e como sempre superando o MS, em tudo, desde números do rebanho como em produtividade.
 
João Carlos da Costa em 28/11/2011 09:49:57
E bem mais simples o governador negociar com os funcionarios... ao inves de manter essa queda de braço .e contratar novos funcinarios...nao esquecendo que emissao de documento nao e a unica funcao da Iagro.. que existe defesa sanitaria... e um novo foco de febre aftosa acabaria com nosso estado..e no fim nos produtores e que sempre pagamos a conta.....
 
caua silva em 28/11/2011 08:44:01
O iagro nunca esteve em greve e todos seus funcionàrios estão trabalhando,o que não estava acontecendo è deixar GTA`S assinadas no escritorio pois isto è contra a lei,resolução 722 do CFMV art 13 inciso 3,O iagro não è sò emissão de guias. È trabalho de campo è VIGILÂNCIA SANITÀRIA.
 
mauro rodrigo rossetti em 28/11/2011 08:31:00
O pecuarista é pagador de impostos, é responsavel por um movimento muito grande de arrecadação de impostos, e não é possivel que esse mesmo pecuarista seja punido, por um movimento de ajuste salarial.
 
Roney Medeiros Fialho em 28/11/2011 05:47:08
Não seria mais prudente o Governo esperar o Judiciário se manifestar se o procedimento adotado é legal ou ilegal, antes de anunciar as punições?
Por outro lado, a mesmo que a operação padrão dos servidores seja considerado greve, a Constituição Federal diz que mantido o percentual mínimo, é lícito o movimento grevista, daí que a atitude Governamental é arbitrária e ditatorial.
 
Adilar Jose Bettoni em 28/11/2011 02:10:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions