A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

26/11/2014 08:07

Especialistas orientam produtores rurais sobre novos sistemas de irrigação

Caroline Maldonado
Novos sistemas de irrigação podem gerar economia (Foto: Divulgação/Famasul)Novos sistemas de irrigação podem gerar economia (Foto: Divulgação/Famasul)

A maior parte dos produtores rurais opta pelo método convencional de irrigação, mas novas tecnologias podem faciliatar o processo de forma economica, se utilizadas corretamente. A orientação é do técnico Jorge Luis Pelisson, um dos organizadores do Irriga MS, evento realizado nesta quarta-feira (26), em Dourados, a 233 quilômetros de Campo Grande.

Segundo o especialista, Mato Grosso do Sul tem vantagens que garantem a eficácia dos novos sistemas de irrigação, como o solo com características favoráveis para o plantio e rios em regiões estratégicas. “O manejo no sistema de irrigação é muito mais que distribuir água no campo. As mais recentes técnicas associam praticidade, economia e agricultura de precisão, métodos que garantem a verticalização da produtividade com sustentabilidade”, explica Jorge.

O Irriga MS, realizado pelo Sindicato Rural de Dourados e a Dekalb, tem ciclo de palestras sobre as tecnologias utilizadas para a irrigação e é promovido em parceira com a Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), a Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul) e Senar/RS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Rio Grande do Sul).

Profissionais da área e produtores rurais poderão obter informações sobre o Clube de Irrigação para Altas Produtividades, com o presidente do Clube e chefe da divisão técnica do Senar/RS, João Telles, além de tirar dúvidas sobre a viabilidade e os custos para implantação dos sistemas. Outra palestra será com o assessor econômico do Senar/RS, Antônio da Luz, que irá retratar gargalos da irrigação como a deficiência energia elétrica e a licença ambiental.

Novos sistemas - A implantação do sistema de irrigação com pivot, a estrutura que distribui a água em um hectare de área plantada, pode custar de R$ 6 mil a R$ 8 mil. Valor que somado a outros gastos como adubagem, manejo e colheita, pode comprometer o lucro final, segundo Jorge Luis.

Por isso, no momento da escolha do sistema, o produtor tem que levar em consideração o uso de mão de obra e energia, incidência de pragas e doenças, rendimento da cultura, quantidade e qualidade de água disponível.

Marcado para às 13h30, no auditório do Sindicato Rural de Dourados, o Irriga/MS terá mesa redonda com a participação do assessor para recursos hídricos da Famasul, Elvio Rodrigues, e com um representante da Enersul (Empresa Energética do Estado). O Sindicato Rural de Dourados, que fica na rua Valério Fabiano, nº 100 no Jardim Alhambra. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 3424 6886.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions