A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

28/11/2008 10:30

Estiagem ao Sul do Estado retarda ferrugem da soja

Redação

A estiagem prolongada na região da Grande Dourados está retardando a ocorrência de ferrugem asiática nas lavouras de soja da região. Ainda assim, especialistas alertam para o produtor não descuidar do monitoramento. Como a ferrugem se dissemina muito rapidamente na lavoura,é importante cuidar para não perder o ponto ideal de aplicação do fungicida, pois alguns dias de atraso podem comprometer toda a estratégia de controle.

Em Dourados, dos 155 mil hectares a ser cultivados cerca de 80% a 90% já foram semeados, calcula o engenheiro agrônomo Bruno Tomazini, presidente da Aegran (Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados). Ele diz que os primeiros plantios tiveram início em outubro, mas somente com as chuvas no início deste mês foi possível acelerar o processo.

Se por um lado a falta de chuvas desfavorece o fungo causador da ferrugem, de outro o desenvolvimento do grão poderá sofrer conseqüências futuras com perdas de lavoura. Um outro motivo que ele analisa é que muitos produtores investiram menos em tecnologias, podendo agravar ainda mais a situação.

Na safra 2007/2008, o primeiro foco da ferrugem registrado em Dourados aconteceu em 20 de dezembro. Para essa safra, o fitopatologista da Embrapa Agropecuária Oeste, Alexandre Roese, diz que se não ocorrer chuvas nos próximos dias, os primeiros focos deverão surgir somente no mesmo período registrado no ano passado. O monitoramento meteorológico da Embrapa não prevê chuva para os próximos 10 dias.

O primeiro foco da ferrugem asiática registrado na safra brasileira foi confirmado no último dia 18 de novembro, em Senador Canedo, município localizado a cerca de 20 Km de Goiânia, GO. A confirmação veio da Agência Rural, entidade integrante do Consórcio Antiferrugem.

Mas esse foco, segundo o fitopatologista da Embrapa de Dourados, não é motivo de preocupação para as lavouras de Mato Grosso do Sul, pois segundo ele, a doença foi detectada em uma área experimental, cultivada antes do período correto do plantio.

Na safra passada o estado que teve o maior índice do foco foi o Paraná, com 1038, seguido por Mato Grosso do Sul, 538, e Goiás, 238. No estado, Dourados teve o maior índice (153). Na seqüência foi Maracaju (78) e Aral Moreira (65). (Com informações do Dourados Agora)

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions