A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017

05/02/2011 11:12

Famasul diz que fim da ZAV é reconhecimento de esforço do setor produtivo

Jorge Almoas

A decisão da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) anunciada na sexta-feira em tornar Mato Grosso do Sul, em toda a sua extensão, como área livre de febre aftosa com vacinação – e por consequência, extingir a Zona de Alta Vigilância – foi recebida como um reconhecimento para o esforço do setor produtivo.

O presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), Eduardo Riedel comemora a notícia.

“Isso pode ser considerado uma recompensa para os produtores da região, que assumiram todos os ônus de medidas como a quarentena e o afastamento dos mercados internacionais”, ressaltou.

A ZAV (Zona de Alta Vigilância) foi criada em 2007 e abrangeu 13 municípios na região de fronteira com o Paraguai e Bolívia.

Os pecuaristas, nesse período, precisaram obedecer normas rígidas sanitárias para controle do rebanho, de modo a Mato Grosso do Sul sem focos da febre aftosa.

Com o fim da área de proteção diferenciada, os produtores rurais terão mais facilidade no manejo do gado e podem exportar a produção.

De acordo com estimativa da Seprotur (Secretaria de Produção e Turismo), juntamente com o governo federal, o investimento anual para manter a ZAV era de R$ 80 milhões.

Com fim da ZAV, MS passa a economizar R$ 80 milhões por ano
Investimento, em conjunto com o governo federal, era gasto para manter condições sanitárias especiaisA nota oficial emitida pela OIE (Organização Mu...
Após três anos,13 municípios da fronteira retomam status de área livre de aftosa
A OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) reconheceu nesta sexta-feira (4) a ZAV (Zona de Alta Vigilância) de Mato Grosso do Sul como livre de febr...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions