A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

29/09/2016 16:16

Governo se reúne com lideranças ruralistas para detalhar ações no setor

Durante encontro com lideranças e 41 presidentes de sindicatos, representante do governo deram esclarecimentos

Anahi Zurutuza
Reunião na Famasul pela manhã (Foto: Edemir Rodrigues/Governo do Estado)Reunião na Famasul pela manhã (Foto: Edemir Rodrigues/Governo do Estado)

Secretários de Estado reuniram-se na manhã desta quinta-feira (29) com lideranças do setor agropecuário. Durante encontro de 41 presidentes de sindicatos rurais na Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), os representantes do Governo de Mato Grosso do Sul responderam a questionamentos sobre o Fundersul, Novilho Precoce, Zona de Alta Vigilância de Fronteira (Zav) e as tratativas em relação à questão indígena, dentre outras demandas.

Estavam presentes os secretários de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, de Desenvolvimento e Meio Ambiente, Jaime Werruck, e de Obras e Infraestrutura, Marcelo Miglioli.

Além das 41 lideranças, também estava presentes os presidentes da Acrissul (Associação dos Criadores de MS), Jonathan Barbosa, do MNP (Movimento Nacional de Produtores), Rafael Gratão, e da Reflore (Associação Sul-mato-grossense dos Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas de MS), Moacir Reis.

Para Riedel, a abertura da Famasul para a participação dos secretários no encontro demonstra que o diálogo está mantido com o setor agropecuário. “É característica do governo estadual estabelecer diálogo com todos os setores. Não seria diferente com os produtores, categoria que tem tanta representatividade em nosso Estado”, afirmou por meio da assessoria de imprensa.

Secretários responderam a questionamentos de produtores (Foto: Edemir Rodrigues/Governo do Estado)Secretários responderam a questionamentos de produtores (Foto: Edemir Rodrigues/Governo do Estado)

Esclarecimentos – Sobre o Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul, Riedel lembrou que duas são as fontes de arrecadação: produção rural e combustível. O secretário destacou que desde 2013 consta na legislação, a autorização para aplica os recursos na manutenção e pavimentação de vias urbanas também.

Ele deu a explicação, porque alguns produtores questionam o fato de parte do dinheiro estar sendo aplicado nas cidades, quando deveria ser investido nas rodovias, que dão escoamento para a produção agrícola e pecuária local. “Só foi mudada a redação da lei, sem alterar em nada o destino do recurso. Não há desvio de mérito nos recursos do Fundersul”, afirmou.

O secretário esclareceu ainda que os municípios recebem 25% do valor arrecadado, sendo que a aplicação fica por conta das prefeituras.

Segundo a assessoria de comunicação do Governo do Estado, o secretário Marcelo Miglioli respondeu a questionamentos sobre a aplicação de recursos em estradas do Estado. “Estamos com 950 km de rodovias sendo restauradas”.

Em relação à questão indígena, Riedel disse que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tem se reunido com o governo federal na busca pela construção de uma solução definitiva. “Estivemos recentemente com representantes do Ministério da Justiça, que também estiveram aqui (na Famasul) e tratamos do que achamos que seja a solução definitiva que é a compra das áreas”, destacou.

Sobre o protesto programado para esta tarde, Jaime Werruck disse: “Todo movimento é legítimo, mas o governo sempre colocou seus canais à disposição de todos os segmentos”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions