A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

07/08/2014 17:42

Imposições da Rússia podem beneficiar exportações do Estado

Priscilla Peres
Adriana Mascarenhas afirma que anúncio vem em momento favorável para MS (Foto: Divulgação/Famasul)Adriana Mascarenhas afirma que anúncio vem em momento favorável para MS (Foto: Divulgação/Famasul)

O agronegócio de Mato Grosso do Sul será diretamente beneficiado com a decisão do governo russo de suspender a importação de alimentos e produtos agrícolas da União Europeia e dos Estados Unidos. O ministro da Agricultura da Rússia, Nikolai Fydorov, informou que a determinação tem duração de um ano e que nesse período irá aumentar a compra de carne (bovina, suína e de frangos) do Brasil.

Mato Grosso do Sul tem seis frigoríficos de carne bovina habilitados para exportar para a Rússia, que é o principal comprador do produto in natura do Estado. De acordo com a gestora técnica da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária), Adriana Mascarenhas, o anúncio vem "em um momento muito interessante para o setor", pois eleva a expectativa de vendas para o mercado externo.

A curto prazo a notícia pode provocar um aumento nos preços, principalmente no mercado interno. "Com maior demanda dos outros países pela nossa carne, os valores que já estão aquecidos tendem a subir ainda mais, tanto na arroba quanto para o consumidor", detalha.

Adriana explica que a decisão é favorável também para o setor de frangos e de suínos. A Rússia foi o principal importador de carne de frango do Estado em 2005, porém teve pouca participação no ano passado e nenhuma esse ano. "Apesar disso, nós temos condições de atender a demanda daquele país, por isso a notícia é importante. Aumenta as chances de expandirmos nossas exportações", destaca a consultora, ao ressaltar que o mesmo vale para os suínos, só que nesse caso, a longo prazo.

Em um cenário positivo nos próximos meses, a decisão da Rússia pode afetar também outros setores do agronegócio, como a agricultura. "Aumenta a expectativa de produção e consumo de vários itens, como o farelo de milho, muito utilizado no preparo de ração animal", avalia Adriana.

País - Em entrevista a revista Veja, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Seneri Paludo, afirmou que o embargo da Rússia pode abrir portas para uma "revolução" nas exportações brasileiras de carne e grãos (milho e soja). "Sem dúvida, do ponto de vista de commodities agrícolas, é positivo. A Rússia tem um potencial de grande consumidor de commodities agrícolas, não só de carne" disse.

Recentemente, o governo brasileiro habilitou 90 plantas frigoríficas para exportar ao mercado russo e a tendência é de que o volume de carne suína e bovina vendida para a Rússia cresça. "O embargo da Rússia aos Estados Unidos abre uma janela para exportação. O país é um grande consumidor de carne e grãos", afirmou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions