A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

03/05/2016 11:53

Mais de 20 milhões de animais devem ser vacinados contra a aftosa em MS

Renata Volpe Haddad
Campanha de vacinação contra a febre aftosa nas regiões do Planalto e Pantanal foi lançada nesta terça-feira (3) pelo Governo do Estado. (Foto: Divulgação)Campanha de vacinação contra a febre aftosa nas regiões do Planalto e Pantanal foi lançada nesta terça-feira (3) pelo Governo do Estado. (Foto: Divulgação)

Com objetivo de atingir 99,2% do rebanho de Mato Grosso do Sul, o governo do Estado lançou a campanha de vacinação contra a febre aftosa nas regiões do Planalto e Pantanal, nesta terça-feria (3). Além de vacinar, os produtores têm até 15 dias para fazer o registro na Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal) que pode ser feito através do site.

De acordo com o diretor presidente da Iagro, Luciano Chiocheta, a ferramenta de registro foi disponibilizada no site para dar mais facilidade ao produtor. "Antes era preciso ir até a Iagro e registrar a vacinação, mas para facilitar é só acessar o site e informar sobre a imunização".

Somando as três regiões, a vacinação contra a febre aftosa neste ano pretende atingir aproximadamente 20 milhões de bovinos e bubalinos. "Pretendemos atingir a mesma porcentagem de animais vacinados do ano passado de 99,2%. Muitas vezes não conseguimos atingir os 100% devido a falta de informação do produtor que acaba esquecendo e estamos tentando buscar alternativas para chegar até mesmo aos locais de difícil acesso, além disso levar informações através de campanhas".

Segundo o secretário estadual de Governo e Gestão, Eduardo Riedel, a vacinação contra a febre aftosa é fundamental para o Estado não apenas pela questão sanitária, mas também econômica.

Mais de 20 milhões de bovinos e bubalinos devem ser imunizados neste ano. (Foto: Divulgação)Mais de 20 milhões de bovinos e bubalinos devem ser imunizados neste ano. (Foto: Divulgação)

"O Estado é um grande produtor de carne bovina e exportador para o mundo inteiro e ter a garantia de que o nosso rebanho é livre de febre aftosa é a garantir a saúde do consumidor". 

Para o presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) Maurício Saito, os índices alcançados acima de 99% de vacinação significa que esta é uma prática cultural dos produtores.

"A imunização dos animais contra a febre aftosa se tornou uma cultura do produtor e isso é demonstrado claramente no percentual elevado de animais vacinados e faz com que o Estado possa atingir um status livre da doença, se o produtor em conjunto com a comunidade científica continuar avançando nos trabalhos".

De acordo com o representante do Ministério da Agricultura, Orlando Baez, o último foco de aftosa no Estado foi em Eldorado, em 2005, porém há 11 anos não há mais suspeita da doença.

"Mas para atingir este resultado, houve um trabalho forte e o Ministério da Agricultura liberou de 2005 até 2016 aproximadamente R$ 100 milhões de recursos para fazer trabalho em campo e trânsito principalmente na região de fronteira. Com o recurso, foram adquiridos 600 veículos sendo 200 camionetes. O ponto x da questão é sanidade e temos que fazer um trabalho de campo excelente".

Vacinação - No Planalto, a vacinação começou ontem (2) e vai até o dia 1º de junho. No Pantanal, para os optantes da etapa maio, o período também iniciou nesta segunda-feira e vai até o dia 16 de junho. Na região da Fronteira, os criadores começaram com a vacinação no dia 1º de abril e o prazo termina em 15 de maio.

As datas diferentes foram determinadas pela Iagro, com base em estudos epidemiológicos das diferentes regiões produtoras. A mudança na vacinação da aftosa para todo o rebanho do planalto, de novembro para maio, ocorreu em 2012.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions