A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

31/01/2018 17:37

Ministério recua e adia dose menor de vacina contra aftosa para 2019

Calendário permanecerá sem mudanças, em maio e novembro, com vacina de 5 mililitros

Gabriel Neris
Vacina reduzida contra a febre aftosa ficou para o ano que vem (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Vacina reduzida contra a febre aftosa ficou para o ano que vem (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) recuou e decidiu nesta quarta-feira (31) que apenas em maio de 2019 começará a ser aplicada a vacina de 2 mililitros contra a febre aftosa. Desta forma, o calendário de vacinação permanecerá sem mudanças, em maio e novembro, com vacina de 5 mililitros.

Porém, de acordo com a pasta, a forma de aplicação do produto deve ser abaixo do couro animal e não mais instramuscular, já a partir da primeira fase de vacinação, que tem início em maio.

O secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, pede cautela, já que o Brasil ainda está em fase final de erradicação da aftosa e de reconhecimento de país livre da doença com vacinação. "A ambição do Mapa é ousada e faremos tudo para atingir os objetivos, apesar do tamanho do território brasileiro e do grande número de animais", afirmou. Em maio, o Brasil deve receber o status internacional da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal).

O diretor de DSA (Departamento de Saúde Animal), Guilherme Marques, afirma que o setor produtivo mostra maturidade. "Não se trata apenas de redução de uma dose de vacina, pois implica em mudança do processo de produção, exigindo, além dos testes laboratoriais, testes de eficácia no campo", explica.

Segundo o Mapa, a retirada completa da vacinação deverá acontecer a partir de 2023, processo que será finalizado em 2026, de acordo com o PNEFA (Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions