A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Outubro de 2017

16/01/2014 08:49

Prejuízo para produtores de soja deve superar R$ 300 milhões em MS

Zana Zaidan
Redução de 8% na de produção custará R$ 300 milhões ao produtores de soja (Foto: Arquivo)Redução de 8% na de produção custará R$ 300 milhões ao produtores de soja (Foto: Arquivo)

A falta de chuva que atingiu a lavoura de soja em plena época de desenvolvimento do grão vai trazer prejuízos de cerca de R$ 300 milhões aos produtores de Mato Grosso do Sul.

Segundo a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) a estimativa no início da safra era de que a produção chegasse a 6,3 milhões de toneladas. A estiagem derrubou a projeção para 6 milhões de toneladas, 8% a menos do que a expectativa.

A divisa entre Sidrolândia e Maracaju, dois dos principais municípios produtores do Estado, passou 60 dias de seca. Ainda na região Sul, quando teve chuva, a quantidade foi inferior à necessária para irrigar a lavoura. No período mais crítico, entre 10 de dezembro e 5 de janeiro, foram 100 mm, ante a média de 200 mm nos anos anteriores.

“O produtor faz um planejamento pensando na produtividade, mas no decorrer do desenvolvimento da lavoura, fica mesmo à mercê do clima”, afirma o analista de grãos da Famasul, Leonardo Carlotto. Isso porque apenas 3,4% dos 2,2 milhões hectares de área plantada do Estado são irrigadas.

Recontagem – Conforme Carlotto, a estimativa de perda inicialmente seria de 10%. Com a chegada das chuvas, foi feita reavaliação, que reduziu os prejuízos a 8%. Nova análise será feita para a Famasul, no entanto, os números não são otimistas. “As perdas serão de 6%, ou mais”, aponta o analista.

Emergência na lavoura – A incidência da Helicoverpa armigera, praga da lagarta que fez o Ministério da Agricultura decretar situação de emergência na lavoura de soja, entre outras culturas, não contribui para redução da produção no Estado.

“O prejuízo maior foi para o produtor, que teve mais custos com defensivos agrícolas e, por outro lado, conseguiu controlar a praga a tempo”, explica Carlotto.

A colheita das variedades mais precoces da soja já teve ter início, e deve ser concluída no fim de março. Aproximadamente 45% da safra já foi vendida antecipadamente pelos produtores, o restante da produção deve ser comercializado somente após a colheita.

Safra de soja sofre com o clima e estimativa é de 10% de perdas
Com falta de chuvas, os agricultores de Mato Grosso do Sul já contabilizam perdas na produção de soja. De acordo com levantamento da Aprosoja/MS (Ass...
Fundação detecta primeiro foco de ferrugem asiática na soja de MS
O laboratório da Fundação Chapadão, em Chapadão do Sul, detectou o primeiro foco de ferrugem asiática na soja nesta safra 2013/14. Segundo a pesquisa...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions