A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

07/12/2017 18:08

Produtores concluem plantio de soja e lavouras apresentam boas condições

Há ocorrências de pragas, mas não a ponto de causar prejuízos a agricultores

Osvaldo Júnior
Vista da fazenda São Sebastião, no município de Itaquiraí (Foto: Divulgação/Famasul/Daniel Mantovani)Vista da fazenda São Sebastião, no município de Itaquiraí (Foto: Divulgação/Famasul/Daniel Mantovani)

Os produtores de Mato Grosso do Sul concluíram o plantio de soja da safra 2017/2018 e as lavouras apresentam condições satisfatórias. As informações fazem parte de nota técnica, divulgada nesta quinta-feira (dia 7) pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul). 

De acordo com a nota, "o desenvolvimento das lavouras está satisfatório, as plantas aparentam estar bem nutridas e o clima é favorável para seu desenvolvimento". 

Apesar disso, há alguns problemas pontuais. A Aprosoja informa que, na região norte, que compreende os municípios de Sonora, Costa Rica, Chapadão do Sul e Pedro Gomes, há difícil controle no manejo do capim amargoso e da buva, espécies daninhas. "Em relação às pragas, há registro de lagartas entre média e alta incidência, e percevejo entre baixa e média incidência", acrescenta.

Mesmo assim, não há, na região norte, ocorrência de doenças e o desenvolvimento das lavouras segue com normalidade.

Situação semelhante ocorre na região sudoeste do Estado, que abrange Maracaju, Sidrolândia, Anastácio, Bonito e Jardim. "Há baixa incidência de lagartas e alta incidência de percevejo, mas sem manifestação de doenças", afirma a nota. "Mesmo com a alta incidência de percevejo no momento, as lavouras aparentam estar bem nutridas e o clima é favorável para seu desenvolvimento", completa.

Na área que compreende os municípios de Bandeirantes, Jaraguari, São Gabriel do Oeste, Rochedo e Nova Alvorada do sul, centro do estado, além do capim amargoso e da buva, há incidência de capim pé de galinha, que também tem sido de difícil controle. No que diz respeito às pragas, há baixa ocorrência de caramujo e percevejo, e média incidência de lagartas. Não há registro de doenças no momento.

Ao sul do estado, nos municípios de Rio Brilhante, Itaporã, Douradina e Dourados, as plantas daninhas também têm dado trabalho no manejo, e há baixa incidência de lagartas, percevejo e pulgão, assim como de doenças.

A mesma situação se repete no sudeste de Mato Grosso do Sul, nas cidades de Jateí, Novo Horizonte do Sul, Iguatemi e Mundo Novo. Mesmo assim, as lavouras também aparentam estar bem nutridas e o clima tem contribuído para o desenvolvimento das plantas.

Na região de fronteira, ao sul, que compreende Laguna Carapã, Ponta Porã e Aral Moreira, foi registrada a presença de capim amargoso e buva, com incidência entre baixa e alta; e com manejo de difícil controle. A ocorrência de pragas é baixa, tanto de lagartas, cigarrinha, pulgão e percevejo. Não há ocorrência de doenças na região no momento e as lavouras também continuam se desenvolvendo bem e com clima favorável.

Balança comercial atinge superávit de 2,1 bilhões de dólares em MS
Entre janeiro e novembro deste ano, Mato Grosso do Sul registrou um superávit de US$ 2,1 bilhões na balança comercial do setor externo, conforme núme...
Balança do país tem superávit de US$ 700 milhões na 3ª semana de novembro
A balança comercial registrou superávit de US$ 700 milhões na terceira semana de novembro. As exportações ficaram em US$ 3,705 bilhões e importações ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions