A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

12/04/2016 16:20

Programa quer estimular produtores de MS a exportar carne para a Europa

Priscilla Peres
Produtor de Figueirão é um dos exportadores pela cota e que quer ampliar programa. (Foto: Assessoria Fazenda 3R)Produtor de Figueirão é um dos exportadores pela cota e que quer ampliar programa. (Foto: Assessoria Fazenda 3R)
Tiago Carneiro afirma que o JBS apoia o programa para incentivar produtores. (Foto: Marcos Ermínio)Tiago Carneiro afirma que o JBS apoia o programa para incentivar produtores. (Foto: Marcos Ermínio)

Mato Grosso do Sul terá a partir de quinta-feira (14) um bezerro chamado Cota Hilton, para estimular produtores a produzir carne de qualidade para exportação. Anualmente, o Brasil pode enviar 10 mil toneladas de carne bovina para a Europa, mas não tem preenchido essa cota.

Acontece que para chegar a exportar dentro da chamada Cota Hilton, os produtores precisam atender a uma série de exigências daquele país, que envolvem desde o rastreamento do bezerro até padrões de qualidade de acabamento. Atualmente, Mato Grosso do Sul responde por 23% do que é exportado dentro dessa cota.

Para incentivar os produtores do Estado a entrar nesse ramo, o frigorífico JBS e a fazenda 3R desenvolveram a campanha bezerro Cota Hilton, que será apresentado dia 14 durante a Expogrande. Rubens Catenacci, proprietário da fazenda 3R e exportador pela cota, produz os animais dentro das exigências e vai passar a vendê-los.

Representante do JBS, Tiago Carneiro se reuniu ontem com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, para falar do programa e da necessidade de expandir a quantidade de produtores que fornecem carne para a cota Hilton.

"Nosso objetivo é atingir a meta anual e ter produto suficiente para expandi-la, mas precisamos que cresça o número de produtores envolvidos", diz Tiago.

Para isso, Rubens Catenacci passará a vender os animais cadastrados em rastreamento e que atendem as exigências para exportação. Esses bezerros recebem manejo que mistura nutrição e genética, e estimula o rúmen do animal, deixando-os com peso bem superior que os tradicionais.

Além do modelo do bezerro, o incentivo para o produtor está na bonificação paga pelo frigorífico, que pode chegar a R$ 6 por arroba, além do preço praticado no mercado. "O produtor investe na qualidade, mas tem a recompensa através da bonificação paga", destaca o pecuarista Rubens Catenacci.

O leilão da fazenda 3R está marcado para acontecer na quinta-feira (14), a partir das 19h, durante a Expogrande.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions