A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

22/12/2013 08:58

Projeto sustentável transforma renda e une famílias de pequenos produtores

Além de elevar a renda e mudar a vida de agricultores familiares, projeto trouxe de volta para casa parentes que deixaram o campo

Aliny Mary Dias
Produção de Francisco deu tão certo que ele construiu até uma estufa. (Foto: Cleber Gellio)Produção de Francisco deu tão certo que ele construiu até uma estufa. (Foto: Cleber Gellio)

Foi para organizar e tornar sustentável a produção de pequenos agricultores familiares que um projeto agroecológico surgiu há sete anos em vários municípios do país. Depois de ter mudado a vida de muitos que vivem do campo e ser considerado um caso de sucesso em várias regiões, o sistema Pais (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável) tem unido famílias e levado para a cidade as transformações e benefícios vindos da zona rural.

Em Mato Grosso do Sul, o projeto saiu do papel em 2006 depois que o Sebrae (Sistema Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) em parceria com a Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) e com a Fundação Banco do Brasil decidiram investir em um sistema que tem o objetivo de melhorar a produção de hortaliças de pequenos produtores e torná-la sustentável.

Os frutos começaram a ser colhidos depois de dois anos que as unidades do sistema foram implantadas na zona rural de cidades como Sidrolândia, distante 70 quilômetros de Campo Grande.

Um dos pioneiros a aderir ao sistema foi Francisco Quirino dos Santos, de 45 anos. O pequeno produtor vive no assentamento Vista Alegre em Sidrolândia e, antes de cultivar hortaliças no sistema desenvolvido pelo projeto, vivia da venda do leite e do milho.

Alface, cebolinha, abobrinha e salsa são algumas das culturas cultivadas pelo produtor. (Foto: Cleber Gellio)Alface, cebolinha, abobrinha e salsa são algumas das culturas cultivadas pelo produtor. (Foto: Cleber Gellio)

A propriedade de 16 hectares, aliada ao trabalho duro da mulher e das duas filhas, proporcionava à família uma renda de um salário mínimo. Atualmente, sete anos depois da implantação de uma unidade do projeto, a família tem uma renda quatro a cinco vezes maior do que a anterior.

“Foi graças a esse projeto que hoje nós temos um salário bom. Antigamente a dificuldade era muito grande porque além de trabalhar aqui na nossa terra ainda tínhamos de fazer bico pra fora, hoje é totalmente diferente”, comemora Francisco.

As unidades do sistema Pais são doadas aos produtores sem custo algum. O kit vem com caixa d’água, estrutura para galinheiro, fitas gotejadoras e as primeiras sementes. Toda a implantação do sistema é feita com auxílio técnico e a produção se torna sustentável.

Em geral, o espaço utilizado para a plantação é de um hectare, o segredo para a economia de área é a maneira que a horta é feita: em forma circular. Depois de construídas as fileiras e improvisado um morro onde a caixa d’água é colocada, são instaladas fitas gotejadoras responsáveis pela irrigação da produção.

O grande segredo do sistema é um espaço construído no centro dos círculos. Um galinheiro, mas que também pode ser abrigo para coelhos, é o local onde a segunda produção é criada. Os animais são alimentados com os restos da horta produzida ao redor e as fezes servem de adubo para as plantas. Isso faz com que o sistema se torne integrado e sustentável.

Tarcísio vive a felicidade de ter os filhos de volta em casa. (Foto: Cleber Gellio)Tarcísio vive a felicidade de ter os filhos de volta em casa. (Foto: Cleber Gellio)

De volta para casa - A fórmula aparentemente é simples, mas foi essa iniciativa que trouxe muitos maridos, mulheres e filhos de volta para os lares. Na maioria dos casos, as dificuldades financeiras enfrentadas pela família faziam com que alguns membros procurassem emprego em fazendas distantes e até arriscassem uma nova vida na cidade.

Foi essa a experiência vivida pela família de Carla Francieli Piesanti, de 28 anos. A jovem era recém casada com Leandro Adão dos santos, 33, e mãe da pequena Flávia, que hoje tem 9 anos. A falta de organização da produção cultivada no próprio quintal da propriedade localizada no Assentamento Eldorado fez com que o marido precisasse procurar emprego fora.

“Ele conseguiu um serviço de motorista de máquinas grandes em uma fazenda e foi embora. Ele passava vários dias na fazenda e poucos em casa”, lembra Carla.

Depois que o Pais surgiu na vida da família, em 2010, o pai voltou para o lar e a renda da casa aumentou. “No começo ele não acreditava que ia dar certo, mas eu fui confiante e fiz tudo direito. Depois de 1 ano ele viu que a horta estava rendendo e voltou para casa. Com o que a gente ganha hoje eu tenho coisas na minha casa que nunca pensei que teria”, conta a jovem.

Estufa é sinônimo de que produção dá certo e traz progresso ao campo. (Foto: Cleber Gellio)Estufa é sinônimo de que produção dá certo e traz progresso ao campo. (Foto: Cleber Gellio)

Para Eduardo, estar perto da família foi uma oportunidade que ele agarrou com as duas mãos. “É muito melhor estar em casa, eu fico perto da minha filha e dou o suor por uma coisa que é minha”, diz. Para a pequena Flávia, a importância do projeto pode ser resumida em poucas palavras. “Eu gosto do Pais porque ele trouxe meu pai de volta pra casa”, conta.

A mesma situação de movimento migratório em direção ao campo foi experimentada pela família de Tarcísio Alves da Silva, de 62 anos. O produtor que viu os dois filhos deixarem a propriedade para tentar uma vida melhor no campo hoje assiste a volta de quem ele tanto queria ter perto.

“Meus filhos foram embora para tentar uma vida melhor, mas hoje eles viram que a produção dá certo e voltaram para me ajudar. Ter eles aqui é o melhor presente que um pai poderia ganhar”, diz o produtor.

Sucesso – Para que o lucro com a produção das hortaliças fosse realmente grande, alguns produtores se uniram em cooperativa e os alimentos passaram a ser vendidos para distribuidoras e até prefeituras.

Produtos são comercializados em feiras montadas no centro da cidade. (Foto: Cleber Gellio)Produtos são comercializados em feiras montadas no centro da cidade. (Foto: Cleber Gellio)

Em algumas propriedades, o sucesso foi tanto que estufas foram erguidas para o cultivo das hortaliças em maior quantidade. Apesar de aparentemente não ter as características do formato circular das hortas, as estufas são uma evolução e representam a mudança vivida por muitos produtores.

O técnico da Agraer e responsável pela implantação do projeto no Estado, Juvelino Alves Caetano, conta que um caminhão foi adquirido para a entrega das verduras e que contratos com o poder público foram firmados.

“Essa iniciativa da Prefeitura de Sidrolândia de comprar os alimentos dos produtores para integrar a merenda das escolas foi fundamental para que os agricultores se empolgassem e o projeto desse tão certo no início”, explica.

Hoje a produção é tamanha que até uma feira de rua foi criada no centro da cidade para que os produtos pudessem chegar aos moradores. “Toda noite passam cerca de 3 mil pessoas na feira, segundo a Polícia Militar e isso fez a cidade ter um movimento muito bom e uma opção de lazer”, afirma Juvelino.

Plantação é artesanal, mas produtores começam a mecanizar alguns locais. (Foto: Cleber Gellio)Plantação é artesanal, mas produtores começam a mecanizar alguns locais. (Foto: Cleber Gellio)

Expansão – O gerente de Agronegócio do Sebrae-MS, Marcus Faria, explica que em todo o Estado existem 442 unidades do projeto Pais. Do total, 117 são novas e a expectativa é que os kits cheguem a mais produtores em 2014.

“Nós tivemos um balanço bastante positivo esse ano e vimos que as parcerias deram certo. Para o próximo ano esperamos ter pelo menos mais 40 unidades novas, já que conseguimos mais parcerias com empresas privadas”, explica Marcus.

Outra novidade que deve fazer com que os resultados dos pequenos produtores sejam ainda mais animadores é a contratação de uma empresa especializada em acompanhar as hortas que compõem o projeto em Mato Grosso do Sul.

Todos os detalhes do projeto e mais informações para produtores que querem aderir ao Pais podem ser encontradas em uma cartilha que está disponível online neste link.

Confira abaixo um vídeo com imagens das produções visitadas pela reportagem e um pouco da rotina dos produtores em uma galeria de fotos logo abaixo.




Não sabia desse programa, que ideia excelente, tomara que cresça cada vez mais. E a reportagem ficou ótima, nessa o cgnews está de parabéns!
 
Tamyres Cuellar em 22/12/2013 18:10:53
Excelente reportagem. São exemplos como esse que precisamos de divulgação. Do duro trabalho de quem vive no campo e de seus apoiadores. A Agricultura Familiar precisa sim de muito incentivo, cada vez mais. Pois que de lá é que vem 80% dos alimentos que consumimos em nossas mesas.
 
alexandre ferro em 22/12/2013 16:43:33
O povo cobra melhorias e leveza no dia a dia. Esta é a melhor notícia, mas ninguém deixou um comentário se quer... O "mercador do caos" quem fomenta é a própria sociedade.
 
LUIS OLIVEIRA em 22/12/2013 16:01:56
O trabalho dignifica o ser humano!!Parabéns pelo projeto e sucesso....
 
gladis alaia em 22/12/2013 14:01:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions