A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/07/2014 16:48

Propriedades recebem financiamento via Sicredi para melhorar produção

Marta Ferreira
Propriedades recebem financiamento via Sicredi para melhorar produção

O Inovagro (Programa de Financiamento de Projetos de Inovação Tecnológica), linha de crédito do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento e Econômico e Social), vai destinar recursos a duas propriedades rurais de Mato Grosso do Sul. Os projetos de financiamento foram assinados hoje entre o presidente do banco Sicredi, Celso Regis, e o presidente da Associação Sul-mato-grossense de Novilho Precoce, Alexandre Scaff, na sede da Associação.

O banco cooperativo é parceiro da iniciativa do BNDES no Estado.Os valores envolvidos não foram informados. Estão recebendo o financiamento a Fazenda Cachoeirão, em Bandeirantes, que pretende aplicar o recurso em agricultura de precisão e conservação de solo e água, para melhorar a produção de soja, milho e pasto, além de investir também em Boas Práticas Agropecuárias. A expectativa, com os investimentos, é o aumento na produção de três a quatro sacas de soja por hectare, de dez a 12 sacas e milho, também por hectare, e a produção de mais duas arrobas de carne ao ano por hectare.

Outra propriedade que irá receber o recurso é a Fazenda Boa Esperança, em Anastácio, que vai usar o valor para corrigir o solo em 240 hectares, construir galpão metálico, além de reformar o curral anti-estresse. Na propriedade também vão ser construídos e reformados 35,45 km de cerca eletrificada, além da aquisição de equipamentos agrícolas. O objetivo, segundo divulgado, é evitar a degradação no solo, além de aumentar a produção de carne por hectare em 30% nas áreas recuperadas.

Do que se trata - Podem aderir ao Inovagro produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas e cooperativas rurais de produção, associados ao Sicredi em Mato Grosso do Sul.

A taxa de juros é 3,5% a.a. e o limite de financiamento é de até R$ 1 milhão por associado e de até R$ 3 milhões para empreendimento coletivo, desde que respeitado o limite individual . “O limite para empreendimento individual pode ser elevado em até 100%, desde que os recursos adicionais sejam destinados exclusivamente para cultivos protegidos do segmento da olericultura, fruticultura, floricultura e cafeicultura”, explica Celso Regis. É possível a concessão de mais de um financiamento para o mesmo cliente por ano/safra, quando a atividade requerer e o somatório dos valores concedidos não ultrapassarem os limites de créditos.

No caso do setor pecuário, o somatório dos recursos disponibilizados para custeio associado ao projeto de investimento e aquisição de matrizes e reprodutores é de até 30% do valor do financiamento.

O prazo do financiamento é de até 10 anos com carência de até três anos para início do pagamento. O BNDES pode financiar até 100% do projeto.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions