A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

22/03/2016 09:01

Recessão econômica resulta em queda no preço da arroba do boi e da vaca

Renata Volpe Haddad
Preço da arroba do boi gordo iniciou março com queda de 1,5% em MS. (Foto: Famasul/ Divulgação)Preço da arroba do boi gordo iniciou março com queda de 1,5% em MS. (Foto: Famasul/ Divulgação)

O preço médio da arroba do boi gordo iniciou março cotado a R$ 135,97 e da vaca no valor de R$ 129,38, queda de 1,5% e 2,2%, respectivamente, em comparação com fevereiro. Isso deve-se a recessão econômica e o reflexo no mercado interno, conforme aponta o Informativo da Casa Rural, elaborado pelo Departamento de Economia do Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS).

Em fevereiro, o valor da arroba do boi gordo era negociada em Mato Grosso do Sul a R$ 137,90, já, o preço médio da arroba da vaca era analisado a R$ 132,05.

Conforme a analista econômica do Sistema Famasul, Eliamar de Oliveira, a queda no preço da arroba está associada à recessão econômica e seu reflexo no mercado interno. "A procura permanece retraída e, muito embora as exportações tenham registrado alta, a ponta compradora ainda precisa regular seus estoques para equilibrar oferta e demanda", alegou.

Em contrapartida, os preços médios nominais no atacado paulista dos cortes bovinos, estão 1,6% mais altos em fevereiro deste ano, se comparado com o mesmo período de 2015. Apenas a carcaça da vaca que valorizou 1,4%.

Mas os preços dos cortes bovinos no varejo em Campo Grande, apresentaram queda. A maior retração foi na alcatra, com queda de 6,3% e o corte mais valorizado foi o cupim, com alta de 3,5%.

Abates – Conforme o Informativo da Casa Rural, no primeiro bimestre deste ano, os abates bovinos no Estado somaram 570 mil unidades, com recuo de 5,1% em relação a 2015.

O maior reflexo foi a diminuição no abate de fêmeas, de 17,8%. "A redução ocorreu por conta da retenção de vacas, influenciada pelos bons preços do bezerro", afirmou a analista.

A escala de abates ficou em média 6 dias no mês de março, inferior a média registrada em fevereiro.

Mercado Externo - Entre janeiro e fevereiro de 2016, as vendas internacionais de carne bovina 'in natura' somaram 18 mil toneladas, apresentando elevação de 5,5% em relação ao mesmo período de 2015, quando os embarques internacionais atingiram 17 mil toneladas.

De acordo com o Informativo Casa Rural, a receita das exportações do setor ultrapassou US$ 72 milhões, com queda de quase 4% em relação a 2015. O Chile foi o principal comprador da matéria-prima sul-mato-grossense nos dois primeiros meses deste ano.

"O câmbio, em seu patamar atual, favorece as exportações, torna o nosso produto mais competitivo, fato que proporciona uma boa demanda pelo mercado externo", reforça a analista.

Leite – O Informativo Casa Rural também divulga o preço do leite a R$ 0,8504 o litro e aponta alta de 20,4% em fevereiro se comparado com o mesmo período do ano passado.

A projeção para março é de valorização, com cotação de R$ 0,8823/litro. O preço Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) também segue em alta, valorizou 13,9% em relação ao mês de fevereiro de 2015 e 2,5% em relação à cotação de janeiro.

Suínos e frangos - O preço médio pago no atacado de Mato Grosso do Sul no quilo do suíno vivo, em fevereiro, foi R$ 3,40/kg, valor 10,8% inferior aos R$ 3,81 registrados em fevereiro de 2015. A carcaça do suíno registrou preço, em fevereiro, muito próximo ao do mesmo período de 2015, R$ 7,50/ kg, discreta valorização de 0,13%.

Já o preço do frango abatido permanece em alta no atacado de Mato Grosso do Sul, valorizou 21,3% no mês de fevereiro em relação ao mesmo período de 2015.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions