A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

20/10/2014 15:36

Softwares podem ajudar produtor a organizar rebanho e controlar peso do gado

João Humberto e Eduardo Penedo
Supervisor de TI da Embrapa Gado de Corte usa leitora conectada a tablet para identificar animais (Foto: João Carlos Jr)Supervisor de TI da Embrapa Gado de Corte usa leitora conectada a tablet para identificar animais (Foto: João Carlos Jr)

Os produtores rurais que querem controlar o peso do gado, organizar o rebanho, informar-se a respeito das datas de nascimento dos bezerros e até receber avisos quanto às vacinas que precisam aplicar nesses animais, podem comemorar. Softwares e hardwares desenvolvidos através de pesquisas feitas entre a Facom (Faculdade de Computação) da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, por meio de sua unidade em Campo Grande, a Embrapa Gado de Corte, já estão disponíveis ou em fase de testes, possibilitando ao produtor entrar na era da pecuária de precisão.

Conforme Camilo Carromeu, supervisor do Núcleo de Tecnologia da Informação da Embrapa Gado de Corte, “pecuária de precisão é um conjunto de técnicas aplicadas à cadeia de produção onde a tecnologia da informação e a comunicação são usadas para ajudar a garantir produtividade, boas práticas de manejo, segurança alimentar e qualidade”. Pesquisas nessa área vêm sendo desenvolvidas entre as duas instituições desde 2001, fator que resultou na criação do Curso de Mestrado em Computação Aplicada para Agricultura e Pecuária de Precisão.

O professor Nalvo Franco de Almeida Júnior, pós-doutor em Bioinformática e diretor da Facom/UFMS, conta que o curso de mestrado foi criado em 2013, justamente para atender a demanda da Embrapa Gado de Corte. Ele frisa que atualmente 12 projetos do mestrado são vinculados a pesquisas da Embrapa, sendo alguns financiados pela Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul), CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), e há previsão de que sejam geradas 32 patentes através dos projetos em andamento.

Por meio de algumas das pesquisas desenvolvidas ao longo deste período foi construída a Balança de Passagem. Como explica Pedro Paulo Pires, pós-doutor em Geomática e chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Gado de Corte, a balança é posicionada no campo em um local estratégico, de tal forma que os animais passem por ela ao irem beber água. Neste momento eles são identificados, pesados e têm as temperaturas registradas. As informações são então transmitidas, sem fio, a um software instalado em um computador remoto, que armazena os dados e os encaminha ao produtor para visualização.

Balança de passagem foi criada para que os produtores possam controlar o peso do gado (Foto: J. Garcia)Balança de passagem foi criada para que os produtores possam controlar o peso do gado (Foto: J. Garcia)
Camilo Carromeu é um dos responsáveis pelos softwares da pecuária de precisão (Foto: J. Garcia)Camilo Carromeu é um dos responsáveis pelos softwares da pecuária de precisão (Foto: J. Garcia)

Quintino Izidio dos Santos Neto, analista de Tecnologia da Informação da Embrapa e um dos autores responsáveis pelo produto, detalha que a Balança de Passagem possui dois componentes principais: uma balança na parte de baixo e uma leitora de RFID (Radio-Frequency Identification) no meio, que permite identificar automaticamente o animal por meio de sinais de rádio. Isso é possível, pois todos os animais possuem chips, denominados bolus, que ficam decantados em seus estômagos.

Os bolus são invólucros maciços feitos de cerâmica ou resina de mamona com peso médio de 70 gramas. Como são passivos (não têm bateria), podem ficar no organismo dos animais durante toda sua vida e não ter rejeição, sendo retirados apenas no frigorífico. “Através dos bolus, podemos acompanhar por meio de gráficos o ganho de peso desses animais e quando eles estão prontos para serem vendidos. O equipamento que afere o peso é alimentado por energia solar e por esse motivo não é necessária interação humana no local da balança”, acrescenta Camilo Carromeu.

Para que o peso do gado seja registrado corretamente, já que os animais passam rapidamente pela balança, o software conta com um sistema de inteligência que demorou certo tempo para ser criado. A balança de passagem começou a ser projetada em 2002 e contou com a participação de dez alunos que trabalharam na pesquisa.

O produto integra uma plataforma maior de manejo pecuário instalado em um complexo de campos experimentais e laboratórios de pesquisa da Embrapa, denominado “Mangueiro Digital”. Neste complexo são executados os projetos e feitos experimentos em pecuária de precisão e, por esse motivo, há no local um laboratório conveniado à Facom denominado PLEASE Lab (do inglês, Laboratory for Precision Livestock, Environment And Software Engineering).

Como a tecnologia já está em processo de patenteamento, foi feita uma parceria com a empresa Coimma, fabricante de balanças e troncos, para poder comercializar o produto. A partir do depósito da patente, o software já está protegido e pronto para ser comercializado, mas o processo para a patente final pode demorar cerca de um ano.

Analista da Embrapa aponta diversos tipos de bolus (chips) usados para identificar gado (Foto: J. Garcia)Analista da Embrapa aponta diversos tipos de bolus (chips) usados para identificar gado (Foto: J. Garcia)
Quintino mostra informações passadas por rede sem fio a software instalado em computador (Foto: J. Garcia)Quintino mostra informações passadas por rede sem fio a software instalado em computador (Foto: J. Garcia)

e-Apart e Taurus – Pensando em um software de manejo pecuário, alunos da Facom/UFMS estão desenvolvendo com a Embrapa e a empresa Olimpo o aplicativo Taurus, que pode ser usado em tablets. Carromeu reforça que a tecnologia vem sendo aplicada no e-Apart (apartador eletrônico), que está localizado no Mangueiro Digital e automatiza o manejo dos animais no apartador (mangueiro).

Por meio do aplicativo, o produtor pode gerenciar todas as informações de seu rebanho, segundo explica o supervisor de Tecnologia da Informação da Embrapa. “O produtor não corre o risco de perder os dados dos animais de sua propriedade, já que são armazenados em um servidor central sempre que haja conexão com a internet disponível. Uma vez armazenados nos tablets, fica possível fazer a gestão desses animais, como lançar medicamentos e pesagens, saber quem são seus pais, enfim, todo o histórico da vida do animal”.

Caso um produtor venda o animal e o comprador também faça parte da plataforma Taurus e quiser saber seu histórico, pode obter informações desde as vacinas tomadas até as pesagens. Mesmo depois, quando a carne do animal vai para a gôndola do supermercado, por meio do código QR (Quick Response) visto no celular, a pessoa poderá saber por onde aquele animal passou, com quantos quilos estava quando foi abatido etc.

O Taurus se integra com o e-Apart, pois quando, por exemplo, o produtor configura o software de manejo para separar os bois acima de um determinado peso, todos aqueles que estão acima daquele peso automaticamente são separados para o mesmo lote num determinado piquete. “Se houver essa configuração, os bois que estão abaixo deste peso vão para outro piquete. Dessa forma, aqueles animais que estão separados para a venda já podem ser encaminhados aos caminhões para o transporte”, descreve Carromeu. “Podemos também segregar animais que apresentaram temperaturas elevadas durante a semana, animais com a mesma idade, animais de cores semelhantes, bezerros que têm que acompanhar a mãe, bezerros que têm que ser apartados da mãe etc. São diversas as formas de seleção de animais, pois toda segregação é controlada por software”, complementa Quintino.

Pesquisadores observam apartador eletrônico que integra plataforma Taurus para o manejo do gado (Foto: J. Garcia) Pesquisadores observam apartador eletrônico que integra plataforma Taurus para o manejo do gado (Foto: J. Garcia)

No apartador eletrônico o manejo dos animais também utiliza a leitura RFID para identificá-los, como se cada animal tivesse um CPF. Funciona mais ou menos da seguinte forma: a onda de rádio bate na antena do chip bolus, fazendo com que um capacitor acumule uma voltagem específica e dispare o efeito contrário, mandando o sinal de volta. Esse sinal é o número daquele animal, único em todo o rebanho. “Estamos trabalhando com novos bolus que conseguem emitir a temperatura do animal. Isso poderá permitir, no futuro, fazer seu diagnóstico, revelando, por exemplo, se está com febre aftosa ou se está no cio, enfim, há muitas possibilidades”, diz Camilo.

O objetivo principal do Taurus é garantir ao produtor a gestão "precisa" dos animais como, por exemplo, a configuração exata de como ele quer o manejo dos animais, definindo as regras na interface do software. “Nossa ideia é que todo esse processo seja gerenciado basicamente por uma pessoa, que terá que ficar de olho para ver se tudo está caminhando bem e alterar as regras no software caso queira modificar o comportamento do apartador eletrônico”, detalha o supervisor da Tecnologia de Informação da Embrapa.

A plataforma móvel foi escolhida para aumentar a portabilidade da solução. O aplicativo está sendo testado em tablets robustos (à prova de água e poeira). Além disso, por ser de alta usabilidade, apresenta uma interface iconográfica que dispensa ao usuário o conhecimento prévio em computadores convencionais, diminuindo as barreiras para sua adoção no meio rural.

Confira mais softwares desenvolvidos pela Facom e Embrapa

Existem, atualmente, dois softwares da Embrapa disponíveis gratuitamente na loja de aplicativos do Android (Google Play), somando mais de 10.000 downloads. O primeiro é o S.A.C. Gado de Corte, que apresenta ao usuário a base de conhecimento do serviço de atendimento ao cidadão da Embrapa Gado de Corte. Este aplicativo sincroniza a base do S.A.C. no smartphone ou tablet do usuário, permitindo que ela seja acessada sem a necessidade de internet (podendo ser utilizado até mesmo no campo). O usuário pode realizar busca por termos específicos e encontrar facilmente a informação que precisa. Como o software sincroniza as informações do dispositivo com os servidores da Embrapa, o usuário tem a garantia que o conteúdo permaneça sempre atualizado. Pode ser instalado por meio deste link

O outro software já disponibilizado, também pela Embrapa Gado de Corte, é o $uplementa Certo. Este aplicativo permite calcular o benefício/custo da suplementação na seca comparando produtos de diferentes marcas ou tipos distintos de suplementação (sal proteinado e semiconfinamento). Foi desenvolvido no PLEASE Lab e contou com o envolvimento de pesquisadores da área de nutrição animal da Embrapa e professores e alunos de graduação da Facom/UFMS. Pode ser baixado aqui



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions