A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

04/06/2016 10:59

Vazio sanitário começa no dia 15 para evitar ferrugem asiática em MS

Renata Volpe Haddad
Ferrugem asiática é uma das principais doenças que afetam a soja. (Foto: Eliel Oliveira)Ferrugem asiática é uma das principais doenças que afetam a soja. (Foto: Eliel Oliveira)

Para prevenir e controlar a ferrugem asiática, uma das principais doenças que afetam o grão, inicia no dia 15 de junho o período do vazio sanitário em Mato Grosso do Sul.

Em 90 dias, além de não cultivarem o grão no Estado, os produtores devem eliminar todas as plantas voluntárias, conhecidas como guaxas ou tigueras, nas propriedades, por meio de processos mecânicos ou químicos.

Segundo o presidente da Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul), Christiano Bortolotto, o vazio sanitário é de fundamental importância. “Ele garante a rentabilidade do produtor, já que diminui a necessidade de utilização de outros métodos de controle de doenças na lavoura. Gastando menos no combate de doenças, há economia direta nos custos de produção do agricultor”, explica.

Essa e outras doenças causam grandes perdas nas lavouras e enfraquecem a produção, elevando custos e gerando maior impacto ambiental. Portanto, o vazio não pode ser descumprido. "O produtor precisa se manter consciente de que esse é o principal mecanismo de combate ao desenvolvimento de ferrugem asiática”, afirma o presidente.

Avanços - Na safra 2015/2016, foram cadastrados 2.148,6 mil hectares, o que representa 88,7% da área plantada, frente aos 1.979 mil hectares, 85,2% da safra anterior, mostra que os produtores têm se conscientizado, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Segundo chefe da Divisão de Defesa Vegetal de Mato Grosso do Sul, Filipe Portocarrero Petelinkar, esses dois fatores garantiram significativa redução no número de autuações nos últimos anos.

Cadastro - O cadastramento das áreas onde será cultivada a oleaginosa é obrigatório e os dados mantidos no banco de informações da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) servem de base para identificar o total de área plantada, prevenir os agricultores vizinhos quando houver foco da ferrugem por meio de alerta sanitário, além de facilitar as atividades da equipe.

O descumprimento das normas do vazio, de acordo com a Lei, pode implicar em autuação da Iagro e multa de até mil UFRMS (Unidade Fiscal Estadual de Referência de MS). A unidade teve seu valor estabelecido para o mês de junho em R$ R$ 23,63.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions