A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Junho de 2017

29/04/2014 13:48

Caminhão “fecha” motociclista e professora para na Santa Casa

Lidiane Kober e Kleber Clajus
Motociclista levava a esposa para o trabalho quando foi atingido pelo caminhão (Foto: Kleber Clajus)Motociclista levava a esposa para o trabalho quando foi atingido pelo caminhão (Foto: Kleber Clajus)

Sem dar seta, o motorista de um caminhão Mercedes 710, de uma distribuidora de bebida, virou no cruzamento das ruas Goiás e Pedro Coutinho, no Bairro Jardim dos Estados, em Campo Grande, e “fechou” o motociclista Jean Paulo Maciel, de 26 anos.

Ele conduzia sua esposa, a professora Franciele Rodrigues Correa, de 25 anos, ao trabalho. Ela caiu da moto, bateu a cabeça no chão, teve lesão no joelho e reclamava de dor no braço. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) a socorreu e a encaminhou à Santa Casa.

Dirigindo de chinelo, o motociclista teve lesão no pé esquerdo com exposição óssea e foi encaminhado à Upa (Unidade de Pronto-Atendimento) do Bairro Coronel Antonino. Ambos os veículos subiam a Rua Goiás, quando o motociclista tentou uma ultrapassagem e o caminhão virou na Pedro Coutinho, sem dar seta.

Um representante da empresa Rotele, proprietária do caminhão, que preferiu não se identificar, questionou o fato de o motociclista dirigir de chinelo. “Estava de chinelo e o cara que virou sem dar seta”, rebateu Jean, ainda deitado no chão, aguardando socorro. “Quem está mais errado?”, finalizou.




Também concordo com o Ricardo Mendes, eles largam caixas de bebidas nas vias, viram as costas e que se dane os outros. Deveriam sinalizar a via com cones, isolar o local, igual aos caminhões tanque em postos de combustiveis, além de facilitar o trabalho deles, estariam respeitando os outros. Isso é questão de cidadania, educação, e gestão de frotas...
 
WOLDNER MAX TAVARES em 29/04/2014 17:37:03
Já fiz várias reclamações na Rotele, sobre a velocidade que eles trafegam nas vias. Moro na avenida que dá acesso à Rotele, e eles chegam a passar dos 80 km/h. enquanto não causarem uma morte no trânsito e a empresa ser responsável, não aprenderão. Motoristas andam estressados, com pressa e com meta de entregas.
 
WOLDNER MAX TAVARES em 29/04/2014 17:33:02
MUITOS motoristas desta empresa fazem isso, não dão seta. Além de atrapalhar o trânsito em frente a bares e restaurantes colocando caixas de bebidas na pista de rolamento, fazendo com que os outros motoristas "se virem" para desviar. Falta fiscalização senhores do órgão competente......
 
Ricardo Mendes em 29/04/2014 14:26:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions