A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

14/12/2017 19:31

Com pouca fiscalização, pedestre se arrisca e até decoração vira problema

Nesta tarde, com movimento maior por causa do fim de ano, equipe achou uma equipe da Agetran apenas

Kleber Clajus
Agentes foram localizados no cruzamento da Avenida Afonso Pena com 14 de Julho (Foto: Marcos Ermínio)Agentes foram localizados no cruzamento da Avenida Afonso Pena com 14 de Julho (Foto: Marcos Ermínio)

Agentes de trânsito são raros, assim como vagas para estacionar na região central de Campo Grande rotineiramente. Com o movimento maior no fim de ano, principalmente depois da liberação do décimo-terceiro dos servidores públicos, falta respeito aos semáforos, há uso de celular ao volante, pedestre esquecendo da faixa e até decoração natalina atrapalhando motoristas.

A reportagem do Campo Grande News identificou, entre 14h e 15h, somente uma viatura da Agetran (Agência Municipal de Trânsito) no cruzamento da Avenida Afonso Pena com a Rua 14 de Julho. Conforme o diretor-presidente da agência, Janine de Lima Bruno, o efetivo de 45 agentes se mantém circulando.

“Não estamos em um ponto fixo, em alguns casos está a viatura e em outros uma van distribui os agentes para atuar a pé. Dentre as ocorrências o campeão absoluto é das pessoas que furam o sinal vermelho e falam ao celular”, explicou Janine. “Atuamos em parceria com a Guarda Municipal e o Batalhão de Trânsito por não ter muitos agentes”.

Falhas nos semáforos, decorrentes de problemas com energia elétrica, acabam ainda listados como justificativa para a sensação de pouca presença da Agetran no fim do dia. “Mais importante é ter equipe em semáforo não funcionando do que no estacionamento rotativo”, pontuou o diretor-presidente. “Estamos na rua com força máxima até às 00h”.

Motoristas perderam 16 vagas para estacionar na área central por conta de decoração (Foto: Marcos Ermínio)Motoristas perderam 16 vagas para estacionar na área central por conta de decoração (Foto: Marcos Ermínio)
Área ocupada 'protege' pedestres, que acabam atravessando a via fora da faixa (Foto: Marcos Ermínio)Área ocupada 'protege' pedestres, que acabam atravessando a via fora da faixa (Foto: Marcos Ermínio)

Menos vagas - Há opiniões divergentes quanto às luminárias, com inspiração japonesa, instaladas em trechos da 14 de julho pela ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) e a prefeitura do município. Isso porque as 16 estruturas com motivos natalinos ocupam uma vaga do escasso espaço para estacionamento na área central.

A doméstica Maria Socorro Gonçalves, 58 anos, disse que os enfeites ficaram bonitos, possibilitando aos pedestres mais segurança na hora de atravessar no meio da rua. A alternativa, no entanto, possui os dias contados. Resolução do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), em outubro, regulamentou multa de R$ 44,19 aplicada a quem não utilizar a faixa de pedestres. Punição era prevista há dez anos, mas só vale a partir de 2018.

No caso do jardineiro Leandro Almeida, 31 anos, a decoração exigiu caminhar 750 metros até a loja que compraria presente ao seu filho de 4 anos. Seu veículo acabou estacionado próximo a Avenida Fernando Corrêa da Costa por não encontrar vaga no entorno da Dom Aquino. “Por essas questões prefiro comprar no meu bairro, o Aero Rancho”, declarou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions