A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 25 de Março de 2017

28/11/2013 09:45

Jovem que "voou" após colisão fica 15 dias parado e não desiste de moto

Viviane Oliveira
Pessoas tentando levantar o carro para tirar Thiago, que estava debaixo. (Foto: João Garrigó)Pessoas tentando levantar o carro para tirar Thiago, que estava debaixo. (Foto: João Garrigó)
Thiago espera que com seu exemplo os motoristas passam a respeitar mais a sinalização de trânsito e principalmente o próximo. (Foto: Marcos Ermínio) Thiago espera que com seu exemplo os motoristas passam a respeitar mais a sinalização de trânsito e principalmente o próximo. (Foto: Marcos Ermínio)

O vídeo impressiona. A frase é do farmacêutico Thiago Rafael Yahn, 27 anos, referindo-se as imagens de câmeras de segurança que flagraram o momento em que ele “voou” em acidente no cruzamento da Avenida Afonso Pena com a Rua Espírito Santo, no Jardim dos Estados, na tarde da última segunda-feira (25).

Apesar da violência do acidente, o motociclista, que depois do susto se recupera em casa, teve TCE (Traumatismo Craniano Encefálico) leve, quebrou um osso no tornozelo e outro no ombro. Thiago teve alta menos de 48h depois do acidente e vai ficar de repouso por 15 dias.

O jovem de voz calma, conta que trabalha no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian e em uma clinica de oncologia. No momento do acidente, ele seguia para aula de inglês. Casado e pai de um menino de 1 ano e 4 meses, ele não se recorda de como tudo aconteceu, só lembra apenas da pancada e que foi projetado.

Ao olhar as imagens, o jovem diz que não acredita que era ele. “Na hora fiquei desorientado”, conta, acrescentando que pilota e dirige desde os 18 anos e nunca havia sofrido acidente grave.

Thiago pretende dar um tempo na motocicleta, mas depois, se necessário vai voltar a pilotar. “Ninguém anda de moto porque quer, ando porque preciso”, argumenta. Agora, diz que vai ter atenção redobrada no trânsito, mesmo em cruzamento em que esteja na preferencial.

Sobre a repercussão do vídeo, Thiago destaca que o acidente só expõe um problema que é grave no trânsito: a impaciência, falta de respeito com a sinalização e principalmente, com o próximo. “Espero que o meu exemplo seja usado de forma positiva para diminuir os acidentes, que acontecem por um minuto de bobeira e pode acabar em tragédia”, desabafa.

Mesmo de repouso, o jovem pretende participar no próximo sábado às 9h, da campanha de trânsito no cruzamento da colisão, já batizado de esquina dos acidentes. A mobilização será realizada pela família do jovem e o grupo Mãos que Ajudam. A iniciativa terá apoio dos órgãos de fiscalização do trânsito.

As imagens mostram o motociclista "voando" por 10 metros, vira cambalhota no ar e caí embaixo de um veículo estacionado na Afonso Pena. A moto seguia pela avenida, via preferencial, quando foi atingida por um Pálio, que descia pela Espírito Santo.




O mais lamentável nesse contexto todo é ver que as pessoas não tem HUMANIDADE, quem está correto, quem está errado??? Quem estava em alta velocidade, quem invadiu a preferencial??? JULGAR
 
Michelly Gomes em 30/11/2013 11:21:38
OI!!!!O rapaz da moto estava acima da velocidade?Huuuum mas e o rapaz que NÃO RESPEITOU a sinalização?Engraçado né, fica fácil colocar a culpa no motoqueiro, é mais cômodo dizer que o motoqueiro está errado, tenho moto e carro e a diferença é gritante entre dirigir e pilotar, pois quando estou de moto muitos carros me fecham quase me atropelam, mas quando estou de carro que por sinal é uma camionete nenhum engraçadinho joga o carro em cima de mim, realmente pilotar está um perigo pois aqui em CG infelizmente as pessoas que tem somente o carro acham que são os donos das ruas e que não precisam respeitar a sinalização e nem os motoqueiros.
 
Katielly Leite em 29/11/2013 23:27:08
Eduardo Medeiros percebi que você não leu as notícias sobre o acidente do meu irmão. Ele se recorda da velocidade que estava e estava dentro do limite permitido. Deus o livrou do pior com certeza, mas não por um aviso, e sim porque ele é um homem que cumpre os mandamentos de Deus, não foi um castigo, foi uma benção. Continuará com a moto sim, porque a moto não é o problema e sim a falta de respeito e amor ao próximo no trânsito em Campo Grande. É lamentável alguém sem informação sobre o assunto como você fazer este tipo de comentário. E meu irmão tem sim amor a família e a vida. Ele tem família, amigos e pessoas que se importam com ele. E espero que você também tenha. Obrigada.
 
Natalia Yahn em 29/11/2013 08:02:40
Estão todos opinando baseados na imagem do vídeo, farei o mesmo, vi diversas vezes este vídeo, ampliei parei e em nenhum momento consegui ver se o farol da moto estava aceso como determina o artigo 244, IV, do Código de Trânsito Brasileiro que prevê como infração de trânsito de natureza gravíssima "Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor com os faróis apagados de dia e de noite", punida com multa e suspensão do direito de dirigir, nas imagens é nítido o erro dos dois, o carro atravessa a preferencial sem parar causando o acidente mas o rapaz com certeza estava acima do limite de velocidade para aquela via, não deu tempo de frear de tentar desviar e acima de tudo a altura que seu corpo foi projetado a velocidade a distância e o inusitado desfecho sob outro carro, e o brevê, tá em dia?
 
Antonio Mazeica em 28/11/2013 20:05:57
Confesso que levei o maior susto ao saber que era o Thiago, fiquei passada mesmo! Entretanto, pelo que conheço dele (da época em que cantávamos no coral da Unimed CG), posso tranquilamente dizer que é um rapaz calmo e íntegro, inclusive, por conta da família que tem, que é muito correta e honesta.
Fico feliz que esteja bem, e torço para que se recupere logo.

Infelizmente, no nosso trânsito vemos muitas coisas assim acontecerem, e muitas vezes, as vítimas têm menos "sorte" que o Thiago, simplesmente não escapam da morte. Não estamos seguros nem mesmo quando estamos na preferencial e dentro da velocidade permitida!

Força, Thiago! Torço para que você se recupere logo!
 
Mériele Oliveira em 28/11/2013 15:08:44
É engraçado como as pessoas julgam,, Eduardo Medeiros fala como se conhecesse o rapaz, como se tivesse a verdadeira certeza que ele não ama a família. No vídeo está claro que o carro estava errado, pode ser que ele estivesse em alta velocidade, mas com certeza não queria causar esse acidente. Deus te proteja Rafael, e que tire boas lições desse livramento.
 
Aryane França em 28/11/2013 15:00:28
Eduardo Figueiredo você tem razão quanto a questão do exagero na velocidade em Campo Grande . Meu irmão não estava acima do limite de velocidade, mas ficou ferido e o acidente foi grave, ele poderia ter morrido. Por isso vamos fazer a Ação pela Vida e Paz no Trânsito no sábado às 9 horas no local do acidente. Esperamos o apoio de todos.
 
Natalia Yahn em 28/11/2013 13:24:31
Ainda em tempo, Eduardo Figueiredo se o Thiago estivesse nesta velocidade ele estaria morto e não dando exemplo de como devemos nos portar no trânsito.
 
Jerusa Rafael Yahn em 28/11/2013 12:59:40
Sou a mãe do Thiago, o trânsito de Campo Grande é uma praça de guerra, todos contra todos, até quando???
O poder publíco e a população precisa fazer apenas uma coisa para que tudo continue piorando "nada".
Hoje poço dizer que conheço em parte a dor de uma mãe que teve a vida de seu filho seifada um acidente ou que tem sequelas.
Por esse motivo peço que se unam a nós neste sabado dia 29/11/2013 às 9h nesta Ação pela Pela Vida e Paz no Trânsito.
Nós podemos fazer mais e principalmente podemos fazer muito melhor do que estamos fazendo.
 
Jerusa Rafael Yahn em 28/11/2013 12:54:43
Será que ele se recorda da velocidade estava? As vezes Deus te livra do pior, e temos que aceitar isso como um aviso. Esse jovem simplesmente teve seu aviso. E continuará com a moto, e continuará correndo. Lamentável. Não tem amor a família.
 
Eduardo Medeiros em 28/11/2013 12:25:53
Não sei se o rapaz estava acima do limite de velocidade, mas a velocidade com que colidiu no veículo parece mostrar que nem começou a frear. Claro que a via era sua preferencial e o veículo não deveria ter entrado. Mas a questão é a velocidade. As motos pequenas são máquinas muito eficientes para desenvolver velocidades de até 100, 120 km/h, mas incapazes de frenar adequadamente. E, sejamos honestos: quantos dos motociclistas existententes na cidade respeitam os limites de velocidade afixados? Quantos dos motoristas de autos respeitam esses limites? Eu tenho carro e moto de 300 cc. Ando sempre no limite marcado na via, que em Campo Grande fica em torno de 50km/h. Sou o tempo ultrapassado por motos menores, com freios e estabilidade inferior à minha, bem como pelos carros. Um perigo!
 
Eduardo Figueiredo em 28/11/2013 11:00:45
Thiago Yahn, você é exemplo de homem correto, honesto, íntegro e fiel. Maximiliano Nahas concordo com você.
 
Natalia Yahn em 28/11/2013 10:35:17
É ISSO AÍ THIAGO, FORÇA, DAQUI A POUCO VOCE JÁ TÁ ZERO QUILOMETRO, O PROBLEMA NÃO É A MOTO E SIM A FALTA DE RESPEITO QUE OS CONDUTORES DE VEÍCULOS DE 4 RODAS TEM, O QUE NINGUEM VÊ É AS MOTOS AJUDAM A SALVAR VIDAS, HOJE EM DIA SEMPRE QUEM CHEGA PRIMEIRO NO ATENDIMENTO A VÍTIMAS DE ACIDENTE SÃO OS MOTOQUEIROS DO CORPO DE BOMBEIROS E DA POLICIA, MOTO POLUI MENOS, NÃO ENGARRAFA TRANSITO, ENFIM, A ÚNICA DESVANTAGEM DA MOTO É QUE ELA NÃO TE PROTEGE DA CHUVA, SE TODOS RESPEITASSEM SERIA O MEIO DE TRANSPORTE PERFEITO, MOTO E BICICLETA SÃO OS MEIOS DE TRANSPORTE MAIS ECOLÓGICOS.
 
maximiliano nahas em 28/11/2013 10:00:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions