A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

06/11/2017 08:10

Juíza impõe fiança de R$ 50 mil para soltar motorista que matou advogada

Acidente ocorreu durante o feriado de Finados e também deixou ferido o filho da vítima, de 3 anos

Viviane Oliveira
Carro que Carolina conduzia ficou destruído (Foto: Direto das Ruas) Carro que Carolina conduzia ficou destruído (Foto: Direto das Ruas)

A juíza Eucelia Moreira Cassal determinou neste domingo (5) a soltura do estudante de medicina João Pedro da Silva Miranda Jorge, 23 anos, condutor da caminhonete, que na última quinta-feira (2), matou no trânsito a advogada Carolina Albuquerque Machado, 24 anos, e feriu o filho dela de 3 anos e 8 meses. Para ser liberado, o rapaz terá que pagar fiança de R$ 50.598,00 e será monitorado por tornozeleira eletrônica.

João Pedro, que teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na sexta-feira (3), se apresentou à Polícia Civil na tarde de sábado (4). O rapaz passou o fim de semana em uma das celas da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro. Ele deve ser liberado, assim que pagar a fiança.

Para a soltura, a juíza determinou, que depois de solto, João Pedro terá que cumprir medidas cautelares como comparecimento mensal à justiça para informar suas atividades, não sair da cidade e nem de casa no período noturno e nos dias de folga. Ele também teve a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) suspensa e será monitorado por tornozeleira eletrônica.

Caso - Carolina voltava de um encontro com as amigas, quando teve o VW Fox que dirigia atingido pela caminhonete Nissan Frontier, conduzida por João Pedro, que segundo a Polícia de Trânsito, trafegava em torno de 160 km/h. Após a batida, o rapaz fugiu a pé sem prestar socorro. O filho de Carolina, de 3 anos e 8 meses, que seguia na cadeirinha no banco traseiro fraturou a clavícula. A criança recebeu alta no fim da manhã de ontem (5). 

Matéria editada às 9h25 para correção de informação 



Vi alguns comentários sobre o fato da vítima ter furado o sinal vermelho, porém se esquecem ou desconhecem os sequestros relâmpagos e assaltos que vitimaram os condutores parados nos sinais naquela região, tal ação na madrugada, em um carro sozinha e com o filho pequeno, é uma questão de preservação da vida em primeiro lugar.
O fato do rapaz estar conduzindo a aproximadamente 150 km/l faz com que o veículo que esteja cruzando a Via Park com a Afonso Pena, chegue ao local da colisão em menos de 5 segundos, tempo insuficiente para um motorista que vai avançar o sinal em segurança consiga fazê-lo. Apesar da boa visibilidade do local, quando se observa um veículo vindo de frente, não dá para se saber a que velocidade ele está, deixando a vítima sem reação.
 
Samoel Weck em 06/11/2017 09:14:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions