A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

02/11/2017 12:26

OAB lamenta morte de advogada no trânsito e cobra apuração rigorosa

A colisão foi entre o carro que a jovem conduzia e uma caminhonete. O motorista João Pedro da Silva Miranda Jorge, 23 anos, fugiu sem prestar socorro

Viviane Oliveira
Carolina morreu em acidente de trânsito, na Avenida Afonso Pena  (Foto: reprodução/Facebook)Carolina morreu em acidente de trânsito, na Avenida Afonso Pena (Foto: reprodução/Facebook)

Em nota, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) disse que vai exigir rigorosa apuração sobre o acidente que matou a advogada Carolina Albuquerque Machado, 24 anos, e deixou seu filho de 3  anos e 8 meses, ferido.

O fato foi na madrugada desta quinta-feira (2), na Avenida Afonso Pena, no Bairro Chácara Cachoeira, em Campo Grande. A colisão foi entre o carro que a jovem conduzia e uma caminhonete. O motorista João Pedro da Silva Miranda Jorge, 23 anos, fugiu sem prestar socorro.

“A entidade lamenta a morte de Carolina e reitera os votos de pêsames aos familiares e amigos. A Ordem cobrará apuração rigorosa dos fatos, principalmente devido à fuga do autor do acidente, que não prestou socorro às vítimas”, diz o texto.

Acidente - Conforme boletim de ocorrência, testemunhas relataram que a vítima conduzia um veículo Volkswagen Fox e tinha como passageiro o filho, quando foi atingida por uma caminhonete Nissan Frontier, conduzida por João Pedro, que seguia junto com o irmão, João Victor Miranda Jorge, 21 anos.

Segundo informações do BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito), o condutor da caminhonete trafegava ao sentido Centro em torno de 160 km/h e bateu na lateral do veículo Fox, que, segundo as primeiras informações, teria furado o sinal vermelho para entrar na Avenida Paulo Coelho Machado. O carro de passeio parou a 110 metros do ponto da colisão.



É nestas horas que pensamos no coreano da PRF, ele seria mais uma vitima de um condutor bebado, seria atropelado e morreria sem ninguém a seu favor, só pro ser policial, ou talves após atropelar o coréia que estava indo para o trabalho, talves atropela-se alguma criança ou outro advogado, ai sim entenderiam o que ele passou, bom, acho que não importa para sociedade, só que neste caso o bebado filhinho de papai matou, e geralmente eles se dão bem, ha não ser no caso do coréia.
 
Nino em 03/11/2017 15:21:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions