A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

25/08/2018 12:55

Previsto para voltar em setembro, radar funcionará sem multa por até 15 dias

Pontos próximos de semáforos também terão redutores de velocidade; alguns dos locais já tinham equipamentos

Mayara Bueno
Radar em fase de teste instalado na avenida Gury Marques. (Foto: Saul Schramm/Arquivo).Radar em fase de teste instalado na avenida Gury Marques. (Foto: Saul Schramm/Arquivo).

Os radares de velocidade devem voltar a funcionar em setembro, mas sem emitir multa por um período de 10 a 15 dias, que será a fase educativa. A informação é do diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), Janine de Lima Bruno.

"Quando implanta [redutores de velocidade], precisa ter um período educativo para o motorista ir se acostumando, mas não emite multa ainda. Passado esses dias, começa".

Avenidas de grande movimento como a Cônsul Assaf Trad, Lúdio Martins Coelho, Duque de Caxias, Via Park são vias que certamente receberão os equipamentos. Na maioria, já havia equipamento instalado, quando o antigo contrato do município ainda estava vigente.

O diretor-presidente lembra que, por Campo Grande vias largas e ser uma cidade plana, os motoristas costumam andar rápido demais.

"Então a gente vai tentar reduzir as velocidades nestes locais, para que não tenha tantos acidentes". Outros locais que receberão redutores serão os próximos aos semáforos, justamente porque há também casos de acidente nestes cruzamentos. "Tem muito acidente nestes locais, ou seja, alguém desrespeitou o sinal".

Contrato - A prefeitura de Campo Grande classificou o Consórcio Cidade Morena Perkons para gerir, por R$ 15,4 milhões, os radares nas vias da cidade e marcou para 1º de agosto a continuidade da licitação. Segundo Janine, resta apenas a assinatura do contrato para que ele comece a funcionar.

Os 66 radares fixos e lombadas que existiam na cidade foram desativados em dezembro de 2016, quando venceu o contrato com a Perkons, antiga administradora do serviço.

Já o “olho vivo”nos semáforos deixou de funcionar em abril de 2016. O dispositivo fiscaliza avanço de sinal vermelho, parada sobre a faixa de pedestre e velocidade. Eram 106 faixas de rolamento com essa modalidade de controle.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions