A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

25/03/2012 07:20

Advogados com diferenças mas sem (des)ordem

Thiago Guerra (*)

Durante os últimos dias, temos visto na mídia discussões envolvendo advogados renomados de nosso Estado. Nós, como advogados, lastimamos alguns comportamentos de profissionais que, antes de tudo, precisam se lembrar de que a ética e a boa educação constituem marcas relevantes de nossa atuação na sociedade.

Veja Mais
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo

Triste é pensar que isso esteja acontecendo, justamente, na nossa classe, já que, muitas vezes, nós, advogados somos rotulados (apontados!) como “bandidos”; e, agora, diante do que a mídia tem mostrado, ou seja, discussões envolvendo clientes, conflitos que jamais deveriam sair de suas mesas ou escritórios.

Não sabemos ao certo a razão dessa briga, dessa exposição toda na mídia; na verdade, não queremos saber, mas devemos nos lembrar de que nós, advogados temos, especialmente, o dever, juntamente com a polícia, juízes e promotores, de zelar pela sociedade, e de garantir aos cidadãos todos os seus direitos, e jamais ofendê-los.

Temos de antemão que nos lembrar de que há uma ORDEM e que, diante dessa ORDEM, temos que prestar o devido respeito, e não utilizá-la de forma desastrosa a ponto de ferir todos os princípios que, por anos, lutamos e nos empenhamos.

Vejo constantemente a mídia divulgar representações éticas feitas de forma desordenada, utilizando nossa instituição como se a mesma não fosse séria e respeitada. Questiono: do que adiantaria toda a luta dos nossos antecessores, perante a nossa ORDEM, na direção do respeito (de que, sem dúvida somos merecedores), se os mesmos compatriotas a utilizam como fonte de vingança?

Sinto-me na dura realidade de redigir este apelo aos amigos advogados: que deixem essas exposições ridículas, visto que nós, advogados sérios, lutadores pelo direito da sociedade, não queremos e nem precisamos ver e ler tais situações, estampadas nos mass media, que só banalizam nosso trabalho.

Deixem para brigar perante a justiça, em que somente os envolvidos ficam sabendo, e por favor, não utilizem nossa ORDEM como instrumento de vingança: somos protetores da ORDEM, e o nosso atual Presidente Leonardo Avelino Duarte, assim como os seus antecessores, merecem toda a nossa consideração e apreço e não precisam vir à mídia, cotidianamente, para falar da importância da ética a todos. Tenho a certeza de que, assim como eu, existem milhares de outros advogados que, ao lermos tanta picuinha envolvendo advogados, ficamos com vergonha de nos intitular advogados.

Por fim, instigo-os a deixarem suas diferenças e discussões para a justiça, deixem a mídia fora disso e, especialmente, não nos envolvam nelas e tampouco envolvam a nossa ORDEM. Somos diferentes, as discussões são saudáveis, no entanto, o excesso de exposição não garante a justiça social.

(*) Thiago Guerra é advogado

Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...



Senhor thiago e dona Bernarda,acho que foram infeliz em seus comentários,pois Magistrados,chefe do Executivo,legislativo etc.. caem na midia,porque a classe de advogados não pode cair. isso não se trata de ética e sim,coisas do seres humanos.
 
Amilton Almeida em 26/03/2012 05:42:23
Colega Thiago, tens razão, afinal a ORDEM somos todos nós advogados, cabendo a cada um, zelar pelo bom nome. Fazendo isso, contribuimos decisivamente para uma ORDEM forte, cuidadosa dos alicerces democráticos que garantem a liberdade ao povo brasileiro. Não raro, está nos tribunais p/ sanar questões que ferem a constituição. Parabéns a vc e a todos os advogados que zelam pelo bom nome da ORDEM.
 
Ademir D. Gomes em 25/03/2012 09:48:53
Não existe classe de profissionais 100% confiável,principalmente advogados,que quase sempre estão envolvidos com grandes causas, que envolvem às vezes grandes somas. eu já senti na pele por duas vezes a ação de advogados "DESATENCIOSO".Como quase sempre não podemos provar a real intenção do DR.A OAB deveria excluir estes maus profissionais de seus quadros.corporativismo,até quando?
 
Nilson franco de oliveira em 25/03/2012 09:20:39
Parabéns Dr. Thiago, por expressar o sentimento senão de todos ,mas da maioria dos advogados, pelo triste epsódio.
 
Bernarda Zarate em 25/03/2012 08:48:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions