A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

09/10/2013 09:11

Andando de moto ... abuse da segurança !

Por Rosildo Barcellos (*)

Para minimizar os danos decorrentes dos acidentes automotivos, é imprescindível o uso de todos os itens de segurança precípuamente quando se trata de uma motocicleta. O de maior destaque, sem dúvida, é o capacete, que quando utilizado corretamente minimiza os efeitos causados por impactos contra a cabeça do usuário da via e que está naquele momento motorizado. Com a experiência de tanto tempo envolvido com as questões de trânsito, posso afirmar que de maneira geral em zona urbana e rural, para os acidentes em veículos de duas rodas o principal causador é a falha humana (80% dos casos).

Veja Mais
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Tédio é a falta de projeto

Estatísticamente são homens com idade média de 30 anos com o ensino médio e com renda de até 3 salários mínimos.Deste grupo 73% usam o veículo como meio de transporte e apenas 23% eram motofretistas ou mototaxistas. Em termos de autuação o Estado de Mato Grosso do Sul, por exemplo teve 795 motociclistas autuados por estarem com a viseira levantada (de janeiro a agosto de 2013).

Por isso, urge ressaltar que desde 27 de setembro de 2013, o uso do capacete está razoavelmente disciplinado e hoje é obrigatório, para circular nas vias públicas o devido uso do capacete motociclístico para condutores e passageiros de motocicletas, motonetas, ciclomotores, triciclos e quadriciclos motorizados. Evidentemente, com o sobredito equipamento devidamente afixado à cabeça pelo conjunto formado pela cinta jugular e engate por debaixo do maxilar inferior.

A fiscalização vai efetivamente a partir de agora observar se o capacete utilizado está certificado pelo INMETRO, através da existência do selo de conformidade, (capacetes fabricados a partir de agosto de 2007) ou seja,cuidado com os importados (Bell, Suomy, Schuberth); além do que, será cobrado se o capacete motociclístico está devidamente afixado e se existe a aposição de dispositivo retrorrefletivo de segurança nas partes laterais e traseira do capacete e sobretudo se o capacete apresenta alguma avaria ou dano.

A novidade fica por conta de que se, por ventura, o veículo estiver imobilizado na via, independente do motivo, a viseira poderá a critério do cidadão, estar totalmente levantada, e logicamente; assim que o automotor retomar seu movimento, esta deverá ser imediatamente restabelecida à posição frontal aos olhos. Lembro apenas, que nos casos de capacetes modulares, além da viseira, a queixeira deverá estar totalmente abaixada e travada.

Outros dois detalhes importantes são que no período noturno se tornou obrigatório o uso da viseira no padrão cristal e se tornou proibida expressamente a aposição de película na viseira do capacete.Por derradeiro lembro que tais procedimentos implicarão nas sanções previstas no CTB, que por exemplo e em conformidade ao artigo 244 da lei 9503/97 Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor com os faróis apagados e sem usar capacete de segurança com viseira ou óculos de proteção e vestuário de acordo com as normas já elencadas acima; ensejam infração gravíssima e suspensão do direito de dirigir.

Temos a plena certeza da eficácia do uso de capacetes, posto que demonstraram que, o seu uso pode prevenir cerca de 69% dos traumatismos crânioencefálicos e 65% dos traumatismos da face. E em função dos enormes problemas que uma acidente acarreta tanto familiares, psicológicos, previdenciários e na própria vida em si, não devemos arriscar.

(*) Rosildo Barcellos, articulista

Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...



MARCOS DA SILVA , parabéns pelo comentário concordo com vc!
sou motociclista a 22 anos !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
idevaldo de jesus em 09/10/2013 13:17:48
Há dois tipos de motociclista: O suicida e o homicida.
Suicida: acha que nunca vai acontecer com ele, o bonzão
Homicida: Não respeita nada e ninguém, leva ele e mais alguém junto pro inferno.
 
Anderson Cleiton Da Silva em 09/10/2013 12:01:31
Legal o artigo, mas seria bom demais, se o problema dos motociclistas era causado só pela falta de uso correto do capacete. Infelizmente, o problema é outro. Desafio o autor a provar que a falta do selo do inmetro na capacete, ou andar com o visor levantado é a causa de qualquer acidente de moto, menos ainda de quantidade significativa.
Em vez da policia olhar capacetes, deveria coibir comportimento muito mais perigoso, que é a verdadeira causa da epidemia de motociclistas acidentados: furar sinal, dirigir embriagado, andar na contramão ou calçada, ultrapassagens proibidos ou inadequadas (ex.: de lado direito de caminhões), passar quebra-molas na sarjeta (sem diminuir velocidade), transporte inadequado de passageiros, não ter CNH e tal. Isso sim vai surtir efeito.
P.S.: nunca andei de moto
 
Marcos da Silva em 09/10/2013 10:42:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions