A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

20/05/2014 08:45

Aos sul-mato-grossenses

Por Nelson Trad Filho (*)

Para quem teve o privilégio de governar nossa querida Cidade Morena por oito anos, dói e constrange constatar a perplexidade social ante o estado de improvisação administrativa, incerteza política e precariedade institucional a que Campo Grande está submetida há quase dezoito meses.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

Vítima de um trágico estelionato eleitoral que, patrocinado pelo PT com o entusiasmo cúmplice do PSDB, fraudou a boa fé da maioria dos campo-grandenses ao convencê-los de que votavam no novo, quando na verdade respaldavam uma nefasta aventura novidadeira, Campo Grande amarga o maior desastre político-administrativo de sua história. E sem prazo para acabar.

Atônita com a sequência de medidas judiciais que na prática põem ‘sub judice’, por tempo indefinido, a administração de sua querida Capital, a sociedade estadual, especialmente a população campo-grandense, se dá conta, da pior maneira, do quanto o carreirismo político articulado em alianças espúrias pode comprometer o patrimônio construído em 16 anos de conquistas.

Ao tentar, sem sucesso, se eximir da grave culpa de ter apostado, irresponsavelmente, os sonhos de Campo Grande no ‘mercado futuro’ de projetos eleitoreiros pessoais, os ‘engenheiros’ do desastre buscam se esconder na poeira do desabamento.

Na insana tentativa de esconder as mãos que urdiram a trágica trama eleitoreira, os atribulados pajés do caos tentam, inclusive, culpar o Poder Judiciário pela sucessão de decisões, todas elas adotadas para garantir direitos legais. Ainda que, neste caso, derivados de processo ilegítimo de estelionato eleitoral.

Como ex-prefeito da Capital, mas, sobretudo como sul-mato-grossense e campo-grandense, lamento profundamente a constrangedora situação político-administrativa de que Campo Grande se tornou refém, pelas mãos astuciosas dos que nunca tiveram compromisso com nosso futuro.

Felizmente, a Democracia tem remédio eficaz para curar eventuais distorções geradas em seu próprio processo de consolidação: eleições limpas e livres de manipulações oportunistas.

Vamos pensar nisso nas próximas eleições:

O voto independente e esclarecido é o mais eficaz antivírus contra aventureiros e manipuladores.

(*) Nelson Trad Filho é médico e ex-prefeito de Campo Grande.

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



Esse também não deixou saudades! Temos de renovar.
 
Hugo Alves em 20/05/2014 10:32:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions