A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

04/01/2015 10:51

Bem material vem depois da vida!

Por Rosildo Barcellos (*)

Ano novo começou com mudanças no trânsito, notadamente no quesito extintor, pois entra em vigor no primeiro dia de janeiro,um artigo da Resolução nº 333 do Conselho Nacional do Trânsito (Contran) tornando obrigatório o uso do extintor de incêndio do tipo ABC. Condutores flagrados com extintores diferentes do explicado neste artigo são passíveis de autuação em R$ 172,69, além da retenção do veículo até sua regularização. Todos os veículos fabricados a partir de 2005 estão atualizados com o extintor ABC de série. Contudo, os modelos anteriores a 2004 utilizam e portam ainda o tipo BC.

Veja Mais
Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
A aviação e suas regras

O equipamento é obrigatório para automóveis, utilitários, caminhonetes, caminhões, triciclo automotor de cabine fechada, ônibus, veículos de transporte inflamável e reboques com carga acima de 6 toneladas. O peso do extintor varia de 1kg a 6kg de acordo com o tamanho do veículo.O extintor ABC possui múltipla atuação sobre o incêndio, isolando materiais combustíveis (Classe A), além de combater líquidos inflamáveis (classe B) e fogo nos equipamentos elétricos (classe C). O extintor BC atuava apenas nos dois últimos itens.

Além da obrigação de possuir o item, também estará sujeito às mesmas penalidades o motorista flagrado no caso de extintores vencidos, violados ou vazios. Depois de expirada a validade de cinco anos, o extintor não sendo recarregável como os modelos anteriores faz com que os motorista necessitem descartá-lo. A diferença no preço é justificada pela durabilidade e garantia do produto. “O extintor antigo custava em média de R$ 20 a 40 agora passa a ser cobrado em média de R$ 60 a 75. Urge ressaltar, que o extintor da modalidade ABC tem por base, normalmente, o monofosfato de amônia e sulfato de monoamônio em detrimento ao anterior a base de bicarbonato de sódio (Pó

Químico Seco – PQS). Ainda explicando, a classe A refere-se aos materiais sólidos combustíveis como estofamentos, pneus e tapetes. Por sua vez o classe B refere-se aos combustíveis líquidos sendo os mais utilizados nos veículos: óleo, gasolina e álcool. Por último, o classe C representa os materiais elétricos energizados tais como as baterias dos veículos e a sua fiação elétrica.

Não esqueça da grande importância do extintor para princípios de incêndio e nunca abra o capô do veículo abruptamente. Faça-o apenas com o espaço da fresta, tire as travas do extintor e utilize. Cuidado para não confundir problemas no arrefecimento, ou seja no radiador ou de superaquecimento; e início de incêndio por outros motivos. Mas tenha certeza que o novo equipamento, sendo bem utilizado é eficiente, realmente; mas certamente o bem material vem depois da vida!

(*) Rosildo Barcellos, articulista

Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
Ao fim de cada ano, realizo uma pesquisa com funcionários de empresas de todo o Brasil para avaliar quais foram as coisas que mais impactaram na prod...
A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions