A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

09/07/2013 06:00

Calcário líquido: geração espontânea ou milagre?

Por Renato Roscoe (*)

Muito se tem falado sobre o calcário líquido. Questiona-se a sua eficiência e capacidade de realmente atender ao que vem sendo divulgado por fabricantes. Afinal, calcário líquido é mesmo corretivo da acidez do solo? Seria ele eficiente?

Veja Mais
Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
A aviação e suas regras

A eficiência dos corretivos vem sendo discutida desde o início das pesquisas agrícolas no Brasil. Existe uma extensa literatura sobre o tema e são claras as normas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). É considerado corretivo de acidez: “produto que promove a correção da acidez do solo, além de fornecer cálcio, magnésio ou ambos”. Neste ponto, não se pode discutir que o produto chamado de “calcário líquido” enquadra-se como “corretivo de acidez”, pois efetivamente tem esse efeito.

Mas o problema não é esse. A questão está nas doses que vêm sendo recomendadas pelos fabricantes. Embora seja um corretivo de solo, nas doses recomendadas não pode alterar de forma significativa a acidez do solo e muito menos neutralizar o alumínio tóxico.

Tomando um exemplo do mercado, em que o fabricante recomenda 10 litros do produto por hectare, estariam sendo aplicados cerca de 3 (três) quilogramas de cálcio (Ca) e 1 (um) quilograma de magnésio (Mg) por hectare. Fazendo a equivalência em carbonato de cálcio (padrão do MAPA para mensuração dos corretivos), seria equivalente a pouco menos de 12 (doze) quilogramas de calcário com PRNT (Poder Relativo de Neutralização Total) de 100%!

Esse valor poderia ser dobrado caso o “calcário líquido” na realidade fosse composto por óxido de Ca e de Mg. Ou seja, na melhor das hipóteses, 10 litros desse produto equivaleriam a menos de 25 quilogramas de calcário PRNT 100%. Essas doses são absolutamente irrisórias para a correção da acidez de solos agrícolas típicos, os quais exigem com freqüência quantidades acima de 2.000 kg de calcário PRNT 100% por hectare.

Bem, mas o produto poderia ainda ser utilizado como fonte de Ca e Mg, certo? Nas doses recomendadas, também não! Dez litros do produto que estamos utilizando como exemplo trariam 3 kg de Ca e 1 kg de Mg. Uma lavoura de soja produzindo 50 sacos por hectare exporta 9 kg de Ca e 6 kg de Mg. Ou seja, 10 litros do produto seria suficiente para repor somente 33% do Ca e 15% do Mg que seriam retirados anualmente pela cultura da soja. Se o produtor ainda tiver o milho safrinha, a reposição é ainda menor!

Portanto, a aplicação de “calcário líquido” nas doses recomendadas não está contribuindo significativamente para a correção do solo e nem repondo as exportações das culturas. Nessa situação o produtor estará consumindo os estoques de Ca e Mg de seu solo. O fato de as partículas do “calcário líquido” serem pequenas o suficiente para que esse produto permaneça em suspensão em água, interfere em sua reatividade final, mas não multiplica a quantidade de Ca e Mg contida em cada litro do produto. Ainda não existe a “geração espontânea” de elementos químicos! Desconfiem de milagres...

(*) Renato Roscoe é engenheiro agrônomo, mestre em ciência do solo, doutor em environmental sciences e diretor executivo e pesquisador no setor fertilidade do solo na Fundação MS.

Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
Ao fim de cada ano, realizo uma pesquisa com funcionários de empresas de todo o Brasil para avaliar quais foram as coisas que mais impactaram na prod...
A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...



Já existe pesquisa séria e imparcial sobre o produto, confiram apresentação do trabalho no link: http://fundacaoprocafe.com.br/sites/default/files/publicacoes/pdf/2%20-%20Efeito%20do%20calc%C3%A1rio%20l%C3%ADquido,%20cal%20virgem%20dolom%C3%ADtica%20e%20calc%C3%A1rio%20comum%20na%20corre%C3%A7%C3%A3o%20do%20solo.pdf
 
Felipe Campos Figueiredo em 27/01/2014 17:21:22
E no mínimo esses que defendem devem ser os fabricantes e vendedores do calcário líquido. Eu falo mal não porque aprendi umas contas na faculdade como disse o senhor Mauricio e sim porque realizamos testes usando até 40 litros por ha e a análise química do solo não mostrou diferença no pH, nem em Al, nem CTC e nem em nada.
 
Marcelo Raul Schmidt em 22/01/2014 17:43:38
Poderia um prefessor de quimica,um cientista, um agrônomo ligado no assunto explicar os pormenores da reação quimica!!!??? A esquematização da reação quimica vai definir o q é verdade, será???!!
 
João Gilberto Corsato em 04/11/2013 09:43:20
www.mscalcario.com.br
 
higor schmidt em 23/10/2013 15:19:58
Gostaria de fornecer algumas informações sobre aplicação e resultados do uso de calcário líquido em pastagens de braquiárias na região de Porto Velho, Rondônia. Apliquei 10 litros de calcário líquido dolomítico/ ha mais 300 kg/ha de adubo fosfatado orgânico em 900 ha de pastagens, no período de outubro de 2012 a janeiro de 2013. Posso dizer a vcs que o resultado nas pastagens foi fantástico, o que não acompanhou as análises de solo, em partes. Explico: O Ph saiu de 3,9 para 5,5 em média e o alumínio veio de mais de 30 para praticamente 0 em todas as analíses. Já P, K, Ca, Mg e saturação de base permaneceram acima do esperado.Toda a coleta de solo bem como as análises foram feitas pelos técnicos da Embrapa-RO..Como zootecnista e proprietário rural com mais de 40 anos de amazônia e pelos re
 
MARCIO SILVA MALUF em 28/09/2013 17:09:55
MUITO TEM SE FALADO SOBRE O TAL CALCÁRIO LIQUIDO A GRANDE MENORIA FALA MAL MAIS NEM SE QUER USARAM O PRODUTO OU CONHECEM ALGUÉM QUE USOU E NÃO DEU RESULTADO.
OS QUE FALAM MAL POIS A MAIORIA TEM PARCERIA COM MINERADORAS DE CALCÁRIO EM PO.
EU POSSO DIZER UMA COISA USEI O PRODUTO E FUNCIONA MESMO USEI DE DUAS MANEIRAS VIA PULVERIZADOR 15 LITROS HA.
E VIA SUCO 12 LITROS HA A DIFERENÇA A OLHO E GRANDE .
AGORA ANTES DE FICAREM FALANDO TANTO MAL DE UM PRODUTO SÓ PORQUE A PREDERAM NA FACULDADE UMAS CONTAS NÃO QUER DIZER QUE O PRODUTO NÃO E BOM. EU RECOMENDO POIS USEI E E ÓTIMO PRA MIM FOI OTIMO
 
Mauricio kaubata em 06/09/2013 14:46:33
Usei calcário líquido dolomítico mais adubação fosfatada orgânica em 900 ha em minhas propriedades no município de Porto Velho, Rondônia, no período de outubro de 2012 a janeiro de 2013, em pastagens de brachiárias. Posso afirmar que o resultado físico (capim) foi fantástico, porém as análises químicas não acompanham, em partes, esse resultado. Explico: O Ph saiu de 3,9 para 5,5 em média e o Al saiu de mais de 30 para praticamente 0. No entanto P, K, Ca, Mg e V% permaneceram inalterados ou com mínimas alterações. As quantidades foram de 10 l/ha e 300 kg/ha, respectivamente. As amostras de solo e análises foram feitas pela Embrapa-RO. Portanto, como zootecnista e proprietário rural , concluo que devemos esperar mais estudos e pesquisas sobre esse produto. Márcio
 
Márcio Silva Maluf em 24/07/2013 18:16:43
Ao meu ver o calcário líquido nem poderia ser registrado como corretivo do solo. O MAPA exige, para registrar um corretivo da acidez do solo, no mínimo 38% na soma de CaO e MgO, e o calcário líquido não tem isso. Ademais, exige, também, que o produto, por não ter antecedentes no País, apresente laudos técnicos que o aponte como tecnicamente viável ou um documento de um órgão oficial que ateste a sua eficiência. Ora, um tradicional órgão de pesquisa (IAC) não recomenda o uso do calcário líquido como corretivo do solo, conforme nota publicada há meses, em seu site.
Se o encararmos como fertilizante fluido, fornecedor de Ca e Mg para as plantas, teria que apresentar, no mínimo, 10% de Ca e 8% de Mg, mas o fabricante aponta garantia de 6% de Mg.

 
Gastão Braga em 24/07/2013 10:58:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions