A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

02/02/2014 09:23

Chegou a hora de abrir a caixa preta das igrejas no Brasil

Por Marco Asa

Num país onde todos os políticos estendem tapetes vermelhos para a bancada evangélica e seus pseudomilhões de votos, é tabu falar da isenção de impostos para instituições religiosas. Mas, vamos e venhamos, já passou da hora de abrir a caixa preta desta vergonha nacional. Vamos aos fatos:

Veja Mais
Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
A aviação e suas regras

- Hoje, no Brasil, há redes pentecostais que funcionam como verdadeiras franquias. O “novo” pastor (ou bispo) faz um curso na sede nacional da congregação religiosa, “compra” o direito de abrir uma igreja em sua cidade e, a partir daí, tem metas a cumprir. E não se trata de meta de atrair fieis, mas metas financeiras, pois terá que pagar, mensalmente, a “taxa de franquia”, além de colaborar com a manutenção de canais locais de rádio e televisão e ainda ter “lucro”;

- As concessões locais de televisão estão todas quase nas mãos das igrejas. Em Campo Grande (MS), por exemplo, quem não tem TV à cabo e não é evangélico sofre. Depois da meia noite, os canais entram em rede, muitas vezes com os “pregadores” da mesma igreja. E toma cura falsa, milagres fajutos e muita, muita enganação. Séries legais saem do ar para a entrada da “palavra de Deus”;

- Aliás, quando se dá uma concessão de rádio e TV e o concessionário original “rifa” seu canal, não teria que haver uma revisão de concessão? Por que o conteúdo dos canais religiosos não passa pelo crivo do Ministério das Comunicações? Porque ninguém tem coragem de mexer com os religiosos e seus votos; Nisso a igreja Católica é mais inteligente e mantém canais exclusivos. Assiste quem quer (e a programação é boa);

- Pra não dizer que falo apenas de evangélicos, vamos lembrar que as escolas e universidades mais caras (e excelentes, diga-se de passagem) são administradas pela igreja Católica, também isenta de impostos;

- Hoje há uma rede nacional de televisão que pertence a uma instituição religiosa, que “compra” um espaço na mesma rede por centenas de milhões de reais e somente a televisão dá lucro. Lucro este que volta para o dono da televisão, que também é dono da igreja, que é isenta...Tá vendo a bagunça?

- O dinheiro das igrejas, isento, financia campanhas de políticos que compõem “bancadas” religiosas, que defendem direitos dos religiosos. Se o dinheiro que serviria para manter as obras religiosas foge do fim inicial não deveria ser taxado, como qualquer ganho de qualquer brasileiro trabalhador?

Então, resumindo. Eu, você, o padeiro, o açougueiro, o mecânico, o médico e qualquer outro trabalhador “normal”, temos que pagar pesados impostos para abrir empresas, para pagar funcionários e os pesados tributos que incidem sobre essa contratação, sobre notas de produtos e serviços, para fechar a empresa etc etc etc. Por que uma instituição religiosa que, como vimos acima, aufere muito lucro, não paga? Quem vai ter coragem de acabar com essa palhaçada? Quem vai criar uma lei que isente apenas obras de caridade e a manutenção (real) dos templos?

Chegou a hora de até mesmo os religiosos pararem para pensar e se rebelarem contra este status quo. E, para os neopentecostais que estão clamando pela ira de Deus contra a minha pessoa, saiba que eu acredito que o meu Deus não é o mesmo que o seu, já que meu Deus não pede que eu explore gente humilde para ficar rico...
Amém, axé, shalom e tenho dito!

(*) Marco Antônio dos Santos Araújo, o Marco Asa, é jornalista, publicitário e escritor. Contato pelo e-mail marcoasa2003@hotmail.com

Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
Ao fim de cada ano, realizo uma pesquisa com funcionários de empresas de todo o Brasil para avaliar quais foram as coisas que mais impactaram na prod...
A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...



Entendo que artigo desse gênero deve sempre ter o propósito de contribuir para uma compreensão mais ampla de quem lê. Nesse sentido, o artigo é muito tendencioso, ainda que mostre evidência sobre os aspectos mercenário de muitas denominações religiosas. Sempre é bom revisar antes com os amigos imparciais.
 
João Valdes em 05/02/2014 00:03:31
Impressão??? ou você só falou de um ponto de vista de Igrejas Evangélicas??? As demais denominações e credos não tem programas? Não tem emissoras de TVs?? Não tem Emissoras de Radios? Expresse sua Indignação mas deixe claro que o seu Artigo não é imparcial.
 
Clistiano Fernandes em 02/02/2014 21:45:23
É o nosso Brasil. O artigo tem um pouco de vício e preconceito só não percebe quem não quer. Os pastores e padres fazem aquilo que a lei lhes permite e sempre com a orientação de um advogado tributarista. Agora, por que os empresários não pagam impostos quando o lucro presumido de suas empresas entram para sua pessoa física? E por que quando é lucro real eles conseguem notas fiscais por fora, fazem contratos fictícios de aluguéis etc...para diminuir o valor do impostos e até mesmo fazer dar prejuízo? Por que tanto o rico como o pobre pagam uma mesma alíquota de imposto? Os católicos tem um esquema semelhante, fundações, associações, fabrica de imagens, fabrica velas etc...Finalizando, a isenção é para todos os cultos, se outros não fazem tem quem faz.
 
Arildo dos Santos em 02/02/2014 17:32:58
Boa reportagem,melhor ainda com o suporte promovido pelas felizes manifestações da Mariana Rondon e do Valter Oliveira. Parabéns,principalmente aos comentaristas pelo bom senso em suas manifestações.
 
Anderson Roque em 02/02/2014 16:58:17
até concordo com o q vc disse, porém acredito que vc poderia escrever mais para criticar a quantidade de impostos que o governo cobra do povo e não tentar criar mais um...lute meu amigo, mas lute pelo povo e não pela sua "disputinha" religiosa, pois vc citou os evangélicos, mas sabemos q terreiros de macumba tb não pagam impostos e católicos tb não....então amigão por favor fale sobre os NOSSOS impostos abusivos q nos sobrecarregam no Brasil.
 
glauber moura em 02/02/2014 14:04:04
Sr. Marco asa, sou membro da igreja evangelica em campo grande e convido a visitar nossa igreja e vamos lhe mostrar vários projetos em prol da população e não temos ajuda do governo, e quando o senhor ver tudo que fazemos tenho certeza que vai mudar alguns conceitos. Por favor venho nos conhecer .
 
otavio moreira em 02/02/2014 13:41:03
Nossa! Só li verdades! Infelizmente prevejo que você terá uma enxurrada de fanáticos que se quer leram a notícia reclamando. Mas é isso aí! Pagamos impostos em tudo, igrejas tem que pagar também!
 
Julio Cesar Araujo Cardoso em 02/02/2014 13:05:15
Marco Antônio ótima reportagem, assim como os comentários da Neyde de Oliveira!
 
Sonja Mara em 02/02/2014 12:50:09
Mandamos alguns caras para cadeia, e temos milhares aí solto, sem investigação, dando rizada do povo... Acho que o você mesmo, que é daqui da terra, sabe de muita coisa...não é ?? quantos amiguinho seu do parque, do câmara, médicos, advogados, empresários estão nos roubando a anos... Fale sobre isso....
 
Guilherme Alves em 02/02/2014 12:47:34
ei Marco, faça um artigo também sobre as ONGs, essas que a Neide tanto exalta!!!!!


 
JOELSON SANTOS em 02/02/2014 12:36:12
É isso aí Marco Antonio, parabéns pela matéria. Detalhe e é tudo em NOME DE JESUS.
 
Nilson André em 02/02/2014 11:50:45
Sou evangelico ha 20 anos, eu concordo que tem muita coisa bagunçada. Eu acho que inclusive acho que atualmente a situaçao favoreçe o interesse de criminosos no dinheiro dos fieis. Os verdadeiros evangelicos vao continuar professando sua fé e exercendo a cidadania com ou sem templos grandes e programas de TV
 
Willian Gomes Justi em 02/02/2014 11:43:43
Parabéns pela coragem, pois precisamos enfrentar o fundamentalismo cristão.
 
Ezequiel Cardozo da Silva em 02/02/2014 11:42:34
Falam tanta asneira, mas não vejo o que pregam na prática.
Se cada indivíduo, que vive enfiado dentro de uma dessas máquinas de fazer dinheiro, fizesse 1% pelo próximo o mundo estaria melhor. Se cada um desses indivíduos plantassem uma árvore, ajudassem uma criança pobre, acolhessem e cuidassem de um animal que vive jogado pelas ruas ou fosse VOLUNTÁRIO de uma Ong o mundo estaria um VERDADEIRO PARAISO, esse tal paraíso que tanto pregam só VERBALMENTE durante suas dramaturgias religiosas. Porque não colocam em prática.
Acredito muito em Deus, tenho fé e quando preciso falar com ele, consigo facilmente, não preciso de luxo de nem de charlatões para chegar ao pai.
Confesso, que faço muita caridade com pessoas e animais, também sou voluntária de Ongs.
 
Neyde de Oliveira em 02/02/2014 10:52:09
Marco Asa, você como jornalista não deveria generalizar pois existe evangélicos sérios e igrejas evangélicas cumprindo um grande papel na sociedade, embora o que disse, não está de todo errado. Existem denominações, que realmente é tudo o que você mencionou. Sou evangélico e me entristeço em afirmar que isso acontece e que os tais ainda são os mais fortes politicamente. Aliás é outra coisa que acho errado, religião não devia estar tão sordidamente envolvida com política pois são antagônicos. Existem denominações tão arraigadas na política, que esqueceram do poder de Deus e só enxergam o poder político.
 
Valter Oliveira em 02/02/2014 10:45:59
humilde e para chegar a ele, não precisa de luxo, sim de humildade e fé.
O mundo esta tomado de praga, que querem dominar e domínio significa PODER. Agora pergunto, para que esse poder??? ao não ser para os crápulas do grupo usufruírem do luxo e poder. Estão se lixando para fiéis...só os querem para financiar seu bem estar.
Esse povo, faz curso para iludir as pessoas que estão com ferimento emocional. Duvido, que consigam ENGANAR uma pessoa saudável, inteligente(que realmente pensa e reflete com discernimento). Em resumo: Falam o que o outro quer ouvir, a mesma técnica utilizada pela maioria dos políticos corruptos. Atingem, COVARDEMENTE o emocional de quem precisa de ajuda de VERDADE.
Acreditar em DEUS sempre, mas em humano PILANTRA, desonesto... jamais
 
Neyde de Oliveira em 02/02/2014 10:39:34
Excelente matéria!!! falou o que venho dizendo a horas. Estou farta de ver Ongs, que realmente precisam de ajuda e que muitas vezes, tem que se desdobrar com os voluntários, fazendo o maior esforço para conseguir um dinheirinho para quitar as dívidas e ajudar o seu foco. Já os charlatões, lotam verdadeiros templos e arrancam o pouquinho de $$$ que alguns fiéis humildes tem, ou empresários são enganados e aos poucos vão perdendo tudo que tem.
Caramba!!! o que a PF, o Ministério Público e a tal Receita federal, estão esperando para agir??? isso é CRIME, onde pessoas fraca, frágeis emocionalmente... são alvos fáceis desses pilantras, mercenários.
Para acreditar em Deus, não precisa entrar numa roubada dessa gente. Afinal, Jesus era simples e nasceu junto aos animais num lugar extremamente
 
Neyde de Oliveira em 02/02/2014 10:27:16
É pouca vergonha isso.
Eles usam e abusam dessa isenção de imposto pra lucrar mesmo.
Esses lugares viraram puro comércio.
 
Francis P. Lucas em 02/02/2014 10:13:50
Nunca ouvi falar de Igrejas Evangélicas franquiadas. E falar de que os milagres são fajutos é muito perigoso. Vamos ver o que vai virá da vida deste jornalista , pois, Deus disse em sua palavra aí do que toca nos meus ungidos!
 
Maria do Socorro C freitas em 02/02/2014 10:10:19
eu concordo plenamente com voce voce falou tudo.
 
ESTEVA VARGAS em 02/02/2014 10:06:56
Seu artigo é bom Marco Asa. Porém, mais uma vez vem a falha de quem apenas observa pontualidades e não o todo. Neste caso, você se refere a algumas denominações, porém acaba generalizando o assunto, forçando uma imposição de opinião. Você pode com certeza emitir seu ponto de vista, porém é preciso tomar cuidado para não incluir todo mundo no saco. Quando você simplesmente diz que os evangélicos, ou "rede redes pentecostais", me parece mais um ataque as instituições do que um artigo. Gostaria de lembrar, que muitos comentam apenas o que 5 grandes denominações ( que possuem o poder da media ) no Brasil fazem, e esquecem que hoje existem mais de cem denominações, das quais 80% delas prestam um serviço relevante a sociedade. Porém, essas coisas não viram notícias. Só para pensar um pouco.
 
Mariana Rondon em 02/02/2014 09:45:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions