A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

02/07/2012 08:09

Coincidência ou ação divina?

Por Wilson Aquino (*)

Terminou bem o caso da pequena Brenda Gabriela, 4, raptada no interior de uma igreja no centro de São Paulo no dia 12 de junho. Ela foi reconhecida por um vizinho, o adolescente Alex Ramos de Carvalho, 17, quando estava nos braços de um morador de rua em frente à empresa onde trabalha na Zona Sul da cidade, 15 dias depois de ter sido levada da mãe, a diarista Geissa Maria da Silva, 31, que passou horas e dias de desespero, assim como parentes, vizinhos, amigos e muitas pessoas da sociedade brasileira que torciam para que fosse encontrada logo, e viva. Diferente de um caso semelhante ocorrido em 2007, quando a criança foi encontrada morta.

Veja Mais
Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
Comércio exterior: o que esperar de 2017

É curiosa a circunstância que norteia esse desfecho. No depoimento de Alex Ramos de Carvalho, órfão de mãe (o pai é desconhecido), analfabeto, que trabalha como repositor de estoque numa bomboniere, seu segundo emprego, ele conta que conhece a pequena Brenda desde que nasceu, pois são vizinhos, e que teria ficado muito chocado com seu desaparecimento.

A forma que encontrou para ajudar foi seguir viagem a Aparecida do Norte, com alguns amigos, onde levou uma foto de Brenda Gabriela, para uma corrente de oração na capela daquela cidade, onde pediu a Deus para que a pequena vizinha fosse encontrada para a alegria e felicidade de todos e especialmente dos familiares.

No trabalho, enquanto relatava à sua chefe sobre a viagem, seu objetivo e preocupação com a pequena Brenda, sua vizinha, que ele avistou, do interior da loja, um homem com uma criança no colo, com o rosto sujo e usando uma touca. Ele simplesmente falou: “Aquela é a menina que sumiu”. Sua chefe teria dito: “Não é ela não”. Instintivamente o rapaz pediu licença e saiu da loja para abordar o homem com a criança dizendo: “Essa menina você roubou”. O desconhecido, que parecia um morador de rua, teria respondido: “Não! É minha filha. Vou buscar o RG dela na carroça”. Ele tencionava levar a menina, que foi segura pelo jovem. Diante desse ato o homem teria fugindo correndo. Populares tentaram agarrá-lo, mas não conseguiram alcançá-lo.

E foi dessa forma que se deu o desfecho do caso. A imprensa usou termos diversos como: “um golpe do acaso”, “extrema coincidência” e “sorte”, entre outros, para justificar os fatos.

Seria mesmo uma extrema coincidência esse desfecho? Teria sido de fato um “golpe do acaso” uma menina raptada num lado da cidade ter sido vista 10 dias depois num outro extremo de São Paulo por um vizinho? E se levarmos em consideração que São Paulo tem uma população de 11 milhões de habitantes e de 19 milhões se considerarmos a região metropolitana (formada por alguns municípios vizinhos), ainda assim seria uma coincidência? E mais: em meio a esse turbilhão de gente, justo um vizinho se depara frente a frente com a menina! E para deixar ainda mais intrigante, um menino que se preocupou e viajou para pedir ajuda a Deus e suas preces se vêem atendidas no exato momento em que relatava essa sua iniciativa?

A figura humilde e solidária desse jovem, que no final de sua entrevista à imprensa afirma que: “... às vezes fico pensando na vida, vem tudo, o serviço, minha mãe (falecida quando tinha 12 anos), esse negócio de alfabetização, caramba! Tudo numa pessoa só. Quem agora precisa se salvar sou eu” também nos remete à reflexão. Depois que conheci sua história, tenho rogado também ao Senhor para que sua dignidade e oportunidade na vida sejam resgatados.

(*)Wilson Aquino é jornalista e professor. (aquinowil@uol.com.br)

Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
"Poderão esquecer o que você disse, mas jamais irão esquecer como os fez sentir." (Carl W. Buechner) Hoje, quero compartilhar uma grande decepção que...
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...



Acredito que foi providência divina...isso é obra da trindade santa e tambem da mãe de Jesus......que é simbolo de amor!!! Que Deus abençôe essa familia e o jovem Alex!!!
 
daniela dias em 03/07/2012 01:19:32
Acredito realmente na ação Divina, numa cidade como S. PAULO com mais de 10 milhões de habitantes o sequestrador veio passar em frente .da loja cujo funcionário era vizinho da Brenda. Isso nos prova a misericórdia de DEUS.
 
mercedes r. de brito em 02/07/2012 10:16:28
Quando assisti a reportagem dizendo ser um acaso do destino, logo eu pensei que, com toda certeza, não era. Foi sim intervensão divina, pelo clamor de várias pessoas, incluindo a do rapaz que intercedeu pela criança. Milagre de Deus. Gostei desta reportagem. Deus lhe abençoe Prof. Wilson Aquino.
 
Márcio Patrocinio em 02/07/2012 09:19:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions