A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

23/11/2016 10:10

Como evitar os erros fatais em uma negociação?

Por Carlos Cruz (*)

Objetivo de todo vendedor, comprador ou fornecedor, o fechamento de um bom negócio, muitas vezes, deixa de ocorrer por conta do despreparo dos envolvidos. Erros como o desconhecimento sobre o produto ou serviço, perguntas feitas em um momento inadequado ou mesmo a falta de informação a respeito do assunto a ser discutido podem afastar quem está do outro lado.

Veja Mais
Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
Comércio exterior: o que esperar de 2017

Por mais incrível que isso possa parecer, muitos vendedores sentam à mesa de negociação sem ao menos saber exatamente o assunto que está sendo tratado. Ou seja, eles oferecem melhores condições de preço, enquanto o cliente, na verdade, está interessado apenas nos benefícios que terá com o produto ou serviço. Este é um erro muito comum no processo do negócio e, normalmente, é o momento em que se perde o comprador.

Outro equívoco muito praticado por profissionais despreparados é o popular “falar demais”, falar mais que o próprio interessado na compra, o que indica a perda do controle da negociação. Embora muitos não compreendam, o grande desafio de um vendedor é fazer perguntas para identificar a real necessidade do cliente e, somente depois de entender isso, oferecer as soluções adequadas. Produto e serviço são as plataformas, porém o que realmente faz a diferença dentro do processo é a capacidade de o vendedor oferecer o que o cliente, de fato, procura.

O que deve ser entendido é que, da mesma forma que a presença de técnicas pode garantir a fidelidade do comprador, a ausência delas também pode não apenas prejudicar a negociação, mas também fazer com que esse mesmo comprador nunca mais retorne à loja, ao site ou à mesa de reuniões de uma empresa. Fique atento a essas práticas e tenha portas sempre abertas para fechar negócio com os novos e, principalmente, com os antigos clientes.

(*) Carlos Cruz é diretor do IBVendas (Instituto Brasileiro de Vendas)

Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
"Poderão esquecer o que você disse, mas jamais irão esquecer como os fez sentir." (Carl W. Buechner) Hoje, quero compartilhar uma grande decepção que...
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions