A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

16/01/2012 15:44

Construir um jornal na internet

Gerson Luiz Martins*

O leitor sabe como produzir um jornal na internet? Você deseja ter um jornal só seu? Pois saiba que existem muitas ferramentas na internet que podem fazer o SEU jornal. Para isso será necessário que esteja cadastrado e participe das redes sociais. Os jornais, ou melhor, os ciberjornais utilizam as informações postadas nas redes sociais como Twitter, Facebook, Linkedin e várias outras.

Veja Mais
Embarque comprometido
Travessia sustentável

Há inúmeros sistemas que fazem a publicação, um dos mais recentes foi produzida por paper.li que utiliza as postagens do Twitter e do Facebook. Essa ferramenta cria um leiaute padrão de portal jornalístico e reproduz, ordenado por assunto, ou editoria, como queiram, os textos postados nessas redes sociais. A classificação, ordenamento ocorre por meio das palavras chaves (tag's) que o autor insere em suas postagens.

Esses sistemas de publicação, em tese, confirmam que não é necessário ter formação universitária em jornalismo para produzir um jornal. No entanto, as informações postadas podem ser classificadas, reconhecidas como jornalismo? Em inúmeras outras oportunidades, nas páginas do O ESTADO MS, ficou esclarecido que fazer jornalismo, ou produzir jornalismo não é replicar, distribuir ou repassar informações. Fazer jornalismo, produzir uma notícia, uma reportagem é exatamente isso, ou seja, uma produção. Não fosse assim, todos poderiam ser jornalistas e até mesmo uma pessoa semialfabetizada poderia ser um jornalista, pois para repassar, distribuir a informação não é necessário conhecimento mais profundo, complexo; basta saber replicar as informações que a pessoa recebe nas redes sociais ou em qualquer outro espaço. Produzir informação compreende pesquisa, e não uma pesquisa qualquer, mas pesquisa jornalística por meio de metodologias e critérios específicos; além disso, fazer a checagem das informações, apurar com rigor e isenção. De posse de todas essas informações, o autor poderá começar a redigir a sua matéria, que também possui uma metodologia, critérios, técnicas. Alguém imaginou uma notícia que começasse com "Era uma vez, há muito tempo... "? Ou então uma notícia que tivesse uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão, tal como se aprende no ensino fundamental e no ensino médio? Nada disso tem o formato de uma notícia, de uma reportagem. Há uma técnica mais complexa, aprendida nos Cursos de Jornalismo das universidades, para se produzir uma notícia, uma reportagem.

E para escrever sobre isso, sobre como construir um jornal na internet não há como deixar de mencionar a importância, a necessidade, o requisito para ser um jornalista qual seja frequentar e concluir um curso universitário em jornalismo. A profissão jornalista é séria demais para que seja exercida por pessoas não qualificadas. Como a medicina, o direito, o jornalismo é a atividade humana que pode massacrar, influenciar, conduzir centenas, talvez milhares de pessoas. E aqui cabe uma reflexão muito simples. Pense na forma como a maioria da população conhece os fatos a cada dia. Isso ocorre, principalmente, por meio da televisão. A cada noite são milhares de televisores sintonizados nos telejornais. E as notícias, os fatos que esses programas informam todas as noites, serão as "verdades" que essas mesmas milhares de pessoas conviverão no dia seguinte, "verdades" que serão objeto de comentários, discussões, apostas, lamúrias, alegrias. Este artigo não caberá discutir essas "verdades". Até mesmo porque esse debate se tornaria desinteressante neste espaço.

As pessoas conhecem e convivem todos os dias com as "verdades" veiculadas pela mídia. É o noticiário que nos apresenta dados, informações, conhecimentos que serão úteis nas atividades que as pessoas realizam todos os dias. Então considere que essas informações não são verdadeiras, que a cotação do dólar, os dados do clima, a prisão de rebelados na penitenciaria não são verdadeiros. Como será seu plano de trabalho, de vida para aquele ou os próximos dias? Observe então a importância do trabalho do jornalista. E se o trabalho do jornalista é tão importante, por que ele não precisa de formação superior, universitária para exercer sua profissão? Ou seja, mais do que os profissionais, o Sindicato dos Jornalistas, a própria população deveria exigir das empresas de comunicação que contrate unicamente jornalistas qualificados, com formação universitária específica em jornalismo. Somente isso garantirá a publicação de verdades mais confiáveis. Os profissionais jornalistas formados em cursos universitários de jornalismo estudam, pesquisam e discutem ética jornalística, ferramenta indispensável para a garantia da fidelidade à verdade, ao interesse comum, ao bem comum.

Para concluir, fabricar um jornal não é mais complexo, caro. É simples, barato, acessível. Está ao alcance de qualquer pessoa. No entanto, ser jornalista, bem essa é outra história.

(*) Gerson Luiz Martins é jornalista profissional diplomado, professor da UFMS e pesquisador do CNPq - www.gersonmartins.jor.br.

Embarque comprometido
O Brasil está entre os cinco melhores mercados de aviação doméstica, mas há quase dois anos vem perdendo demanda por conta do cenário econômico. Só e...
Travessia sustentável
O Relatório Anual do FMI (Fundo Monetário Internacional), sobre a situação econômica de seus países-membros, saiu em novembro do ano passado e projet...
Hoje eu me lembrei...
Nestes tempos conturbados que estamos vivendo, em que muitos buscam um culpado para eximir-se de suas responsabilidades, em que nos esquecemos que no...
Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda
O ano começou com uma bomba relógio, que já ‘tic-tateava’ há muitos anos, explodindo. As rebeliões em presídios de todo o Brasil deixaram mais de 120...



Muito bom, professor Gerson!
 
Janaína Ivo em 16/01/2012 07:50:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions