A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

11/04/2012 06:38

Desaposentação, o que é isso?

Jogo Aberto

O artigo da advogada Viviane Coelho de Carvalho Viana, especialista em Direito Previdenciário OAB/SP, é o melhor sobre esse tema. “Muitos aposentados, em razão do baixo valor seu benefício, se veem obrigados a voltar ao mercado de trabalho para complementar a renda mensal. Ao voltar a trabalhar eles são obrigados a contribuir para a Previdência Social, conforme o artigo 11, parágrafo 3.º, da Lei 8.213/91. Acontece que, mesmo contribuindo, os aposentados não têm direito a qualquer benefício previdenciário, com exceção do salário família e da reabilitação profissional, irrelevantes para quem já é aposentado. Por conta deste movimento, foi então criado um instituto previdenciário chamado de DESAPOSENTAÇÃO que consiste na renúncia da atual aposentadoria para que, em seguida, uma nova aposentadoria seja concedida, com a inclusão de todo período contributivo”.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

A Desaposentação é realidade. Mais de milhão de aposentados continuam a trabalhar e, consequentemente, a contribuir para a Previdência. “Se todos requererem a Desaposentação, o impacto para os cofres previdenciários será de R$ 2,7 bilhões por ano. O número de ações judiciais cresce diariamente. Os aposentados buscam minimizar o seu prejuízo por não poderem reaver as contribuições que fizeram ao INSS em relação ao período pós-aposentadoria.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) tem se posicionado favoravelmente a não devolução dos valores recebidos da aposentadoria anterior. A explicação dada por esse tribunal é que a renúncia à aposentadoria, para fins de aproveitamento do tempo de contribuição e concessão de novo benefício, não implica na devolução dos valores percebidos, pois enquanto perdurou a aposentadoria, os pagamentos, de natureza alimentar, eram indiscutivelmente devidos. O Ministro (STF) Sebastião Reis, afirma que a troca de aposentadoria não é pedido de revisão, mas um beneficio para obter outro”.

“O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar a possibilidade da Desaposentação. O Recurso Extraordinário - RE 381367/RS - poderá confirmar a posição do STJ, de não devolução dos valores recebidos enquanto vigia a aposentadoria inicialmente concedida. É importante destacar que, antes de ingressar com a ação de Desaposentação, o segurado deve fazer uma contagem do novo tempo de contribuição, com a soma de todo período contributivo anterior e posterior à aposentadoria. Assim, poderá fazer o cálculo do valor da nova aposentadoria e verificar se ela será mais vantajosa que o benefício que recebe atualmente. Vale informar que o segurado não fica sem receber o valor de sua aposentadoria atual no decorrer do processo.

No Legislativo Federal, vários projetos de lei foram apresentados para garantir ao segurado o direito à renúncia à aposentadoria sem prejuízo da contagem do tempo de contribuição e também para impedir a exigência da devolução dos valores percebidos, por terem natureza alimentar. Porém, os projetos (7.092/10 e 7.369/10) foram arquivados”. O SINDNAPI atento, está articulando no Congresso a retomada de discussão desses projetos. Os Legisladores precisam dar atenção urgente a esta matéria.

Até que uma LEI seja publicada para regularizar esse prejuízo ao aposentado empregado, a DESAPOSENTAÇÃO é um grande meio para que o segurado se valha das contribuições feitas após sua aposentadoria pelo fato de ter voltado a trabalhar. Por enquanto SINDNAPI/MS disponibiliza assessoria Jurídica para encaminhar ações de interesse dos aposentados.

(*)Jânio Batista de Macedo é Presidente Estadual do SINDNAPI - MS

Sindicato Nacional dos Aposentados Pensionistas e Idosos da FORÇA SINDICAL

Sede Estadual Mato Grosso do Sul

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions