A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

21/11/2011 19:43

Dia Mundial em memória das vítimas de trânsito

Por Silas Fauzi*

Há dias venho pensando em escrever um artigo sobre a situação caótica em que vivemos no trânsito das grandes cidades. Conseqüência da melhora da condição de vida das pessoas que puderam ter acesso a bens de consumo duráveis. Quem não tinha carro, passou a ter e quem já tinha, comprou mais um. Campo Grande é a 12ª no ranking de carros por domicílio entre as capitais brasileiras. Na última contagem do Denatran de setembro de 2011, nossa capital aparecia com o número de 414.988 veículos automotores no universo de 766.461 pessoas, contando com crianças e idosos, segundo o censo do IBGE de 2010. Isso significa que é um carro por 1,84 habitante. Com o aumento de veículo nas ruas, cresce na mesma proporção o número de acidentes. Mas isso não deveria ser assim.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

No Brasil, a violência automotorizada ceifa, por ano 37.000 vidas, e causa lesões em outras 120.000 pessoas, a maioria condenada por invalidez (IPEA/DENATRAN/ANTP). Os gastos com vítimas de acidentes somam, por ano R$ 34 bilhões (resgate, tratamento, perdas de produção e materiais, etc.). Isso equivale a mais da metade de todo o orçamento anual do ministério da Saúde. É importante frisar que, na faixa etária de 15 a 19 anos, os acidentes no trânsito já são a primeira causa de mortes no mundo, à frente da Aids, da tuberculose e da violência.

Preocupada com esta catástrofe, a ONU declarou 2011-2020 a Década de Ação para a Segurança Viária, e o terceiro domingo de novembro como o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito.

Mas o que eu mais gostaria de colocar aqui para apreciação é a questão de sensibilização dos condutores. Grande parte desse problema ocorre por conta da atitude de algumas pessoas que parecem não ter tido a consciência necessária para se comportar em um ambiente coletivo como o trânsito. Muitos entram em seu carro e acham que estão num mundo particular onde tudo é permitido. É preciso que haja uma intensa campanha de educação no trânsito, reforçando o respeito à lei e à sinalização. Mas é preciso que exista, também, maior rigor em punir quem comete crime de trânsito. Não podemos tratar todo acidente como acidente. Tem acidente que são verdadeiros crimes e deveriam ser punidos como tais. É lamentável constatar a mansidão do Judiciário com os assassinos do volante: permanecem impunes, continuam a portar carteiras de habilitação e a dirigir. A fiscalização precária e, não raro, guardas e fiscais são facilmente corrompidos, sem que ocorra punição severa.

É preciso que seja feito um grande mutirão com o empenho de cada um, assumindo como sua a responsabilidade de melhorar o fluxo e o tráfego nas ruas de cada cidade, sabendo que essas são um espaço de convívio coletivo e que por elas passam vidas. É lógico que precisamos ter um esforço também do poder público em investir na melhora do sistema de transporte de nossas cidades, ofertando assim possibilidades de locomoção com qualidade e eficiência que o mundo moderno exige, mas é preciso que as pessoas cumpram com seus compromissos também.

(*) Silas Fauzi é professor e militante de movimentos sociais (www.silasfauzi.blogspot.com)

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



MARCELO LUIZ AMARAL PEREIRA JUSTICA JÁ!!!
FALECIDO EM 23/10/2010 PELA IMPRUDÊNCIA E ALTA VELOCIDADE EM FRENTE AO HOSP EL KADRI....
JESUS NOS AJUDE...
 
Aline Amaral em 21/11/2011 09:36:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions